Bolsonaro não tem dúvida de que nazismo é de esquerda

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que "não há dúvida" de que o nazismo é um movimento de esquerda, logo após ter visitado o Museu do Holocausto em Jerusalém.

Ao voltar ao hotel, um jornalista perguntou se o presidente concordava com a afirmação de que o nazismo foi um movimento de esquerda, como afirma o chanceler Ernesto Araújo.

Macaque in the trees
Presidente da República, Jair Bolsonaro (Foto: Alan Santos/PR)

"Não há dúvida, não é? Partido Socialista, como é que é? Da Alemanha. Partido Nacional Socialista da Alemanha", declarou o presidente, recordando o nome do partido de Adolf Hitler.

A imprensa brasileira recordou que o Centro da Memória do Holocausto Yad Vashem de Jerusalém explica claramente em seu site que o nazismo foi parte do surgimento de "grupos radicais de direita" na Alemanha.

O chanceler brasileiro, que acompanha Bolsonaro em sua visita a Israel, afirmou recentemente durante uma entrevista que "o fascismo e o nazismo são fenômenos de esquerda".

"Uma coisa que eu falo muito é dessa tendência da esquerda de pegar uma coisa boa, sequestrar, perverter e transformar numa coisa ruim. É mais ou menos o que aconteceu com esses regimes totalitários. Isso tem a ver com o que eu digo, que fascismo e nazismo são fenômenos de esquerda".

"A esquerda fica apavorada cada vez que ressurge o debate sobre a possibilidade de classificar o nazismo como movimento de esquerda", declarou Ernesto Araújo em seu blog Metapolitica17.

Bolsonaro concluiu nesta terça-feira uma visita de três dias a Israel, durante a qual se tornou o primeiro líder estrangeiro a visitar o Muro das Lamentações junto a um premier de Israel.