Ligações suspeitas de Gilmar Mendes

A força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná encaminhou à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, informações para eventual "arguição de suspeição" do ministro do Supremo Gilmar Mendes em julgamentos relacionados ao suposto operador do PSDB Paulo Vieira de Souza. De acordo com procuradores, ligações telefônicas e mensagens demonstram que "Aloysio Nunes (ex-senador e ex-ministro das Relações Exteriores do governo Temer) buscou interferir em julgamento de habeas corpus em favor de Paulo Vieira de Souza, em contato direto e pessoal com o Ministro Gilmar Mendes".

De acordo com o site 'O Antagonista', no ofício encaminhado a Dodge, a força-tarefa anexou extratos de ligações e mensagens que indicam intensa articulação entre o advogado José Roberto Santoro, Aloysio Nunes, o ex-ministro Raul Jungmann e o ministro Gilmar Mendes. Mendes acabou por conceder o habeas corpus, o que foi motivo de comemoração entre os interlocutores.

Paulo Vieira e Aloysio foram alvo da Ad Infinitum, 60ª etapa da Lava Jato, deflagrada no dia 19, quando a força-tarefa mirou contas na suíça atribuídas a Vieira de Souza de R$ 130 milhões. Um cartão de crédito teria sido emitido em benefício de Aloysio Nunes. As investigações miram a suposta operação de Paulo Vieira para agentes políticos e em pagamentos da Odebrecht a ex-diretores da Petrobrás.

Segundo a força-tarefa, "em fevereiro de 2019, Aloysio Nunes atuou, em interesse próprio e do também investigado Paulo Vieira de Souza, junto ao ministro Gilmar Mendes, valendo-se de relação pessoal com este, para produção de efeitos protelatórios em processo criminal em trâmite na 5ª Vara da Justiça Federal de São Paulo".