Maia: 'Impressão' é que Bolsonaro usa filho para induzir saída de Bebianno

Presidente da Câmara criticou polêmica em família e disse que impasse pode dificultar aprovação da reforma da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), destacou nesta quinta-feira (14) que o presidente Jair Bolsonaro precisa "comandar a solução" para a crise política que envolve o ministro da Secretaria Geral, Gustavo Bebianno. "A impressão que dá é que o presidente está usando o filho para pedir para o Bebianno sair. E ele é presidente da República, não é? Não é mais um deputado, ele não é presidente da associação dos militares", declarou Maia à jornalista Andrea Sadi, da GloboNews.  

Maia prosseguiu: "Se ele está com algum problema, tem que comandar a solução, e não pode, do meu ponto de vista, misturar família com isso porque acaba gerando insegurança, uma sinalização política de insegurança para todos."

>> Maia: Essa é uma crise do Executivo e entre o presidente, sua família e Bebianno

Macaque in the trees
Rodrigo Maia (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O presidente da Câmara reforçou ainda que seria um "risco muito grande" para um governo transformar o episódio de Bebianno em uma crise. "Olha, eu não gosto de ficar me movendo nas relações familiares, mas eu acho que o episódio do Bebianno não tem relação com o Bebianno. O Bebianno transferiu dinheiro para o diretório [do PSL], não é? Ou para uma candidata de um estado. Qualquer presidente de partido poderia passar por isso. Você transformar isso numa crise dentro do Palácio do Planalto, eu acho que é risco muito grande pra um governo que precisa analisar a liderança, unidade, porque vai ter desafios importantes começando pela Previdência", declarou.

Em meio a crise no governo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, cancelou a agenda oficial nesta quinta-feira, 14. Bebianno falou que tinha intenção de conversar com o presidente Jair Bolsonaro ainda na manhã desta quinta-feira. Ele reforçou que segue firme no propósito de não pedir demissão.

Polêmica

Reportagem da Folha de S. Paulo revelou que o PSL teria financiado uma candidatura laranja em Pernambuco nas últimas eleições, quando Bebianno era o presidente do partido.

Na quarta, em uma publicação no Twitter, um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, disse que Bebianno mentiu ao afirmar que teria conversado com o presidente e divulgou um áudio com a suposta negativa de Bolsonaro. Mais tarde, o próprio presidente retuitou o post do filho e repetiu, em entrevista à Rede Record, que o seu ministro estaria mentindo.