Sob aplausos, Boechat sai de cena

Sob aplausos da multidão, o corpo do jornalista Ricardo Boechat deixou ontem à tarde o Museu da Imagem e do Som (MIS), zona oeste da capital paulista, onde estava sendo velado desde a noite de ontem (11). Uma longa fila de conhecidos, ex-colegas, telespectadores e ouvintes veio prestar as últimas homenagens ao jornalista.

Sobre o caixão foram colocados dois letreiros luminosos usados por taxis, categoria que tinha grande simpatia pelo jornalista, pelo contato direto ou pelos comentários na rádio e TV. Um grupo de taxistas chegou a fazer uma pequena carreata com buzinaço em frente ao museu.

Macaque in the trees
Sobre o caixão de Boechat foram colocados letreiros usados por táxis, categoria que despediu do jornalista com um buzinaço em frente ao MIS (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

"Era o nosso passageiro de toda manhã.", contou o taxista Rocco Velluto Jr., 51. "Estamos aqui porque ele merece essa homenagem, sempre defendeu a nossa categoria", explicou o taxista Cláudio Gomes de Freitas, 52. "Na questão do Uber, ele era a favor da regularização pra ter oportunidade pros dois lados. Ele sempre defendeu o Brasil."

Diversas autoridades estiveram presentes no velório. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, compareceu representando o presidente Jair Bolsonaro, que está internado. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que pretende discutir com a família um espaço para que seja feita uma homenagem ao jornalista. "Vamos buscar um espaço para homenageá-lo. Para que ele seja eternizado, para mostrar o exemplo que ele era para as futuras gerações", disse Covas. Também vieram personalidades da comunicação, como o apresentador Serginho Groisman e o colunista social Amaury Jr.

Emocionada, a viúva do jornalista, Veruska Seibel Boechat, lembrou os últimos momentos na companhia do marido. "A gente passou um fim de semana com todos os seis filhos dele, o que é uma coisa rara, são muitos. Os quatro adultos moram no Rio, as nossas filhas moram aqui", afirmou. O corpo de Boechat foi cremado em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, em uma cerimônia reservada para a família.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais