Doze senadores votaram antes de Renan Calheiros retirar candidatura

Doze senadores haviam votado antes de Renan Calheiros (MDB-AL) retirar sua candidatura para a Presidência do Senado, na segunda tentativa da Casa definir seu comando neste sábado, dia 2.

A segunda votação começou por volta das 17h30. A senadora Mara Gabrilli (PSBD-SP) foi a primeira a votar. Na sequência, foram chamados os parlamentares por ordem de criação dos Estados. Os três representantes da Bahia voltaram, depois, os três do Rio de Janeiro.

Macaque in the trees
Senador Renan Calheiros (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil)

Entre os fluminenses, o senador Flávio Bolsonaro (PSL) usou a tribuna para declarar seu apoio a Davi Alcolumbre (DEM-AL). Na primeira votação do dia, Flávio não declarou voto e usou o Twitter para justificar que, por ser filho do presidente, tinha escolhido por não declarar.

Os três senadores do Maranhão foram os próximos. Entre eles, o senador Roberto Rocha, líder do PSDB, afirmou na tribuna que toda a bancada tucana iria abrir o voto. A Mesa chamou então os três representantes do Pará. No entanto, o senador Jader Barbalho (MDB) não compareceu à tribuna. Os outros dois senadores do Pará votaram.

Naquele momento, 12 senadores tinham votado. Antes da mesa chamar o próximo Estado, que seria Pernambuco, Calheiros foi ao microfone declarar que retirava sua candidatura.

Mesa Diretora

Após dois dias de intensos embates e conflitos para a escolha do presidente do Senado, a Casa definirá o restante dos integrantes da Mesa Diretora na próxima quarta-feira, 6.

A primeira reunião de líderes deverá ser realizada na terça-feira, 5. A pauta será a definição dos espaços que serão distribuídos de acordo com o tamanho dos partidos utilizando o critério da proporcionalidade. As siglas, então, indicarão os nomes para cada cargo. São duas vice-presidências e quatro secretarias.