Índios: Sai UDR e entra conselho para conflitos

O governo Jair Bolsonaro fez mais um recuo, desta vez num intervalo inferior a três horas. Depois de divulgar que a identificação e demarcação de terras indígenas, a titulação de áreas quilombolas e as políticas de reforma agrária ficariam sob a responsabilidade de Luiz Antônio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista que comandará a Secretaria Especial de Assuntos Fundiários, o novo Ministério da Agricultura voltou atrás e divulgou um segundo comunicado, desta vez com a informação de que questões relacionadas a demarcações e conflitos de terra serão submetidas a um conselho interministerial

Segundo nota, o conselho, “em processo de criação”, reunirá as pastas da Agricultura, Defesa, Meio Ambiente, Direitos Humanos e Gabinete de Segurança Institucional. A execução dessas políticas caberá ao Incra, inclusive relativas a questões indígenas e quilombolas. A Funai, que integrará o Ministério da Mulher, continuará a atuar nos assuntos ligados aos índios”.