Jornal do Brasil

País

Câmera de segurança de banco flagra operador do PRB no Acre sacando R$ 500 mil

Jornal do Brasil

Câmeras do circuito interno de segurança de um banco em Rio Branco flagraram Thaisson de Souza Maciel, apontado pela Operação Santinhos como operador do PRB do Acre, fazendo saques de dinheiro em espécie.

A Polícia Federal apontou que, na semana anterior ao primeiro turno das eleições 2018, o operador pegou R$ 500 mil de forma fracionada no banco. De acordo com a PF, os saques eram fracionados em uma tentativa de que a movimentação não fosse detectada e comunicada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O dinheiro sacado era colocado em uma mochila.

"Na sexta-feira, último dia útil antes do primeiro turno das eleições 2018, Thaisson comparece ao banco e efetua seis saques em espécie em valores abaixo de R$ 50 mil, de acordo com a estratégia que ele usava para se furtar da ação das autoridades. Ele efetuou 6 saques de valores próximos a R$ 50 mil, mas sempre abaixo desse valor, sempre na casa de R$ 40 mil, o que totaliza R$ 220 mil sacados em espécie somente na sexta-feira. Nessa última semana, véspera das eleições, ele sacou em espécie da empresa de fachada, mais de meio milhão de reais", relatou o delegado Eduardo Augusto Maneta, da Polícia Federal.

A PF apontou que Thaisson de Souza Maciel "agia em nome da deputada estadual presa bem como do atual vereador e deputado federal eleito pelo PRB que também foi preso". Segundo o delegado, o operador transitou "por cargos em comissão vinculados aos gabinetes desses parlamentares desde 2013".

"Foi nomeado 60 dias antes da eleição para um cargo em comissão na Secretaria de Pequenos Negócios do Estado do Acre. Uma pessoa de extrema confiança desses parlamentares que foram presos. Temos indicativos de que parte desses valores desviados do fundo partidário e do fundo eleitoral foram destinado a caixa 2 eleitoral para compra de votos e parte foi apropriado pelo grupo envolvido", afirmou Thaisson de Souza Maciel.

A Operação Santinhos prendeu o deputado federal eleito Pastor Manuel Marcos - atual presidente da Câmara de Rio Branco - e a estadual eleita Doutora Juliana. Ambos são do PRB. Também foi capturado o diretor do Procon do Acre, filho da parlamentar. Segundo a PF, ele "está envolvido diretamente com o esquema criminoso, inclusive, com compra de votos".

O governador do Acre, Tião Viana (PT), prestou depoimento à Polícia Federal. O petista e dois secretários de seu governo foram convocados pela Operação Santinhos para explicar a nomeação de Thaisson Souza Maciel e de sua mulher para cargos comissionados.

"Nós convocamos para prestar depoimento os secretários de Pequenos Negócios e o de Saúde além do governador para esclarecer qual o motivo da nomeação por parte do governador no dia 8 de agosto deste ano de Thaisson para ocupar um cargo em comissão na Secretaria de Pequenos Negócios. Nós queremos entender qual foi o motivo dessa nomeação de Thaisson de Souza Maciel, que é o operador desse sistema, dessa empresa de fachada, que desviou ilicitamente mais de R$ 1,5 milhão, por que ele teria sido nomeado conforme Diário Oficial", afirmou o delegado Eduardo Augusto Maneta, da Polícia Federal.

"Gostaríamos de esclarecer por que a esposa dele também foi nomeada para um cargo em comissão, conforme o Diário Oficial do Acre, na Secretaria de Saúde. Esse seria o motivo da intimação dessas pessoas."

A PF fez buscas no gabinete do diretor do Procon, o presidente da Câmara de Vereadores, da parlamentar na Assembleia e na sede do PRB do Acre. Foram apreendidos computadores e documentos.

"Durante o cumprimento das buscas, foi localizado inclusive arma de fogo, acessórios e munições de uso restrito na casa de um dos envolvidos na operação, outro filho da parlamentar, que teve a prisão preventiva decretada por ameaça e coação a testemunhas da presente investigação", relatou o delegado Eduardo Augusto Maneta.

Defesas

O governo do Acre divulgou nota sobre o caso. "O governador Tião Viana já esteve na Polícia Federal, colaborando com a investigação da Operação Santinhos, e foi recebido de maneira muito profissional em consonância com a missão constitucional do órgão, sendo tratado com respeito e dignidade".

"A equipe da Polícia Federal agradeceu a pronta colaboração do governador que, mesmo diante de sua prerrogativa, se propôs a ir de imediato à instituição. Para não atrapalhar a investigação, que segue em segredo de justiça, ele se reserva a não se manifestar".

"Durante o processo eleitoral deste ano, o governador Tião Viana por várias vezes procurou a Polícia Federal para falar de indícios de uma violenta compra de votos que estaria ocorrendo no Acre".

A reportagem fez contato com a presidência da Câmara de Vereadores de Rio Branco, sem obter respostas. Da mesma forma, entrou em contato com Pastor Manuel Marcos e Doutora Juliana. O espaço está aberto para as manifestações.