Jornal do Brasil

País

Bolsonaro confirma Mandetta como ministro da Saúde

Jornal do Brasil

O presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou, pelo Twitter, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) como futuro Ministro da Saúde.

Mandetta está em seu segundo mandado como deputado federal, mas decidiu não tentar a reeleição. Médico com especialização em ortopedia, foi secretário de Saúde de Campo Grande, sua cidade natal.

A nomeação de Mandetta significa o terceiro ministério para o DEM , que já conta com a chefia da Casa Civil, com Onyx Lorenzoni, e a Pasta da Agricultura, com a deputada Tereza Cristina. Mas o partido  considera que são indicações pessoais do presidente eleito (o caso de Ônyx) ou dos setores interessados.

Mandetta responde a um inquérito, aberto quando era secretário da Saúde de Campo Grande. Ele é acusado de pagar a serviços médicos não executados. O parlamentar nega irregularidades no caso.

 

Macaque in the trees
Mandetta será o futuro ministro da Saúde no governo Bolsonaro (Foto: imagem reprodução)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O nome do político já havia sido citado pelo ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), a despeito de denúncias sobre o deputado, que responde a um inquérito aberto quando era secretário da Saúde de Campo Grande. Mandetta é acusado de pagar por serviços médicos não executados. O parlamentar nega irregularidades no caso.


Nesta terça-feira (20), um pouco mais cedo, a colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" Eliane Cantanhêde havia informado que Mandetta seria o escolhido. E, minutos antes do anúncio oficial de Bolsonaro, o deputado Darcísio Perondi havia confirmado que o presidente eleito havia batido o martelo pelo nome do médico.


No CCBB, Bolsonaro voltou a agradecer aos profissionais da Santa Casa de Misericórdia Juiz de Fora (MG). "Nasci lá de novo. Quis o destino que as urnas me dessem essa missão. Desde o começo o propósito é governar com as pessoas de bem deste País e assim estamos fazendo nas escolhas dos respectivos ministros. E hoje não é difícil com Mandetta", afirmou aos presentes.
Bolsonaro disse que é conhecido o "clamor" da população, com "praticamente um empate" entre "emprego, segurança e saúde".

Desafios do futuro ministro


Dentre os desafios, o próximo ministro da Saúde chega com a missão de contornar a saída de Cuba do Programa Mais Médicos, que deixou no País 8.332 vagas de médicos abertas. O governo já publicou edital para novas contratações.