Presidente do STF relativiza golpe militar de 1964

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, relativizou a ditadura militar iniciada em 1964, ao chamá-la de "movimento".


A declaração foi dada durante um seminário em São Paulo sobre os 30 anos da Constituição de 1988, organizado pela Faculdade de Direito da USP.


"Hoje não me refiro nem mas a golpe nem a revolução. Me refiro a movimento de 1964", declarou o ministro, segundo o jornal "Folha de S. Paulo". Em seguida, Toffoli contou ter sido ensinado a tratar o golpe militar como "movimento" pelo ministro da Justiça Torquato Jardim.


Em sua visão, os militares se desgastaram com a esquerda e a direita ao preferir ficar no poder, em vez de funcionar como "moderadores". Recentemente, o presidente do STF nomeou como assessor político o general da reserva Fernando Azevedo e Silva, que participou de um grupo para formular propostas para a campanha de Jair Bolsonaro, de acordo com a revista "Época". Toffoli preside o Supremo desde 13 de setembro e integra a corte desde outubro de 2009, nomeado por Luiz Inácio Lula da Silva.