Lula estranhou falta de críticas à prisão de Assange

Presidente afirma que a culpa pelas notícias publicadas em site é de quem escreveu os telegramas o presidente luiz inácio lula da silva disse ontem que se espantou por não ter visto protestos contra a liberdade de expressão por causa da prisão de julian assange, do site wikileaks que, segundo ele, está “desembaraçando” a diplomacia americana que parecia “inatingível”.

– o rapaz que estava desembaraçando a diplomacia americana foi preso e não estou vendo nenhum protesto contra a liberdade de expressão. não tem nada contra a liberdade de expressão de um rapaz que estava colocando a nu um trabalho menor que alguns embaixadores fizeram – disse lula ao discursar na reunião de balanço do programa de aceleração do crescimento (pac).

Lula disse que o wikileaks tem sua solidariedade e brincou que o blog do planalto pode por no ar o primeiro protesto contra a liberdade de expressão pela prisão de assange.

– ele desnuda a diplomacia que parecia inatingível. pode colocar no blog do planalto o pri meiro protesto contra a liberdade de expressão na internet, por que o rapaz estava colocando apenas o que ele leu e, se ele leu, foi por que alguém escreveu, logo, o culpado é quem escreveu – disse o presidente.

Recomendações lula afirmou ainda que irá dizer à presidente eleita, dilma rousseff, para prestar atenção ao tráfego de informações de diplomatas brasileiros.

– não sei se meus embaixadores passam esses telegramas, mas a dilma tem que saber e falar pro seu ministro: se (o diplomata) não tiver o que escrever, não escreve bobagem, passa em branco a mensagem – disse.

Durante o discurso, lula se dirigiu à imprensa brasileira afirmando que, quando faz críticas, está apenas “alertando” da mesma forma que ele gosta que a imprensa faça alertas ao g ove r n o.

Os estados unidos rebateram as afirmações de lula. segundo mensagem enviada à afp, o porta-voz do departamento de estado, charles luoma-overstreet, afirmou que “as acusações pelas quais assange foi preso não têm nada a ver com wikileaks”.

Da agência brasil.