No Recife, Serra rechaça fraudes em licitação do metrô

T ucano afir ma que campanha adversária “inventa coisas” e diz que não é pr eciso investigar denúncias

O candidato do PSDB à Pr e - sidência, J osé Serr a, acusou a campanha da candidata do PT , Dilma Rousseff , de “in v entar coisas” ao se r eferir às denún - cias de fr aude em licitação nas obr as do metrô, em São P aulo . P ar a o tucano , não há necessi - dade de in v estigação no go v er - no paulista. As declar ações f o - r am dadas ontem, no Recife. O candidato afirmou que a cada final de semana sur gem no v os escândalos. Serr a gar an- te que o go v erno do estado agiu de maneir a corr eta. E que não seria pr eciso in v estigar por- que “não houv e nada” – T e m aí, por e xemplo , o ta- tuzão , par a fur ar o c hão . São duas empr esas que f az em isso apenas. É fácil sa ber quem v ai ganhar . O go v erno feder al f az isso a bertamente: acerta com quem v ai f a z e r o ser viço pri- meir o e f az a licitação no mes- mo dia – r e bateu o candidato . O PT entr ou com r epr esen- tação na Pr ocur adoria Ger al de São P aulo solicitando a apu- r ação de suposta irr egularida- de em licitações no Compa- nhia do Metr opolitano de São P aulo (Metrô). A licitação f oi a berta em 2008, quando Serr a er a go v er - nador . O jornal

F olha de S. P aulo

afirma, em r eportagem, que em a bril deste ano r egistr ou em cartório e vídeo os v encedor es das empr esas que sairiam vito - riosas. Na semana passada, o Metrô an unciou os v encedor es e o escândalo v eio à tona.

Continua na página seguinte.