Dilma responde a moradores na Cidade de Deus

Queremos a v olta da escola de tempo inte gral para as nossas crianças e a doles- centes. P odemos contar com isso?

(Rumba Gabriel, fundador do MPF e mor ador de J a carezinho)

– T emos de in v e stir na qua- lidade da educação pública par a que nossas crianças e jo v e ns tenham oportunida- des iguais. Pr etendo f az er um go v erno que enxer gue a educação como um todo , da cr ec he à pós-g r aduação .

Que v aloriz e os pr ofessor es, gar antindo r e m uner a ção digna e f ormação contin ua- da. Está entr e minhas pr o- postas ampliar a educação em tempo integ r al. Pr eten- do c hegar a 32 mil escolas urbanas, le v a ndo ati vida- des de cultur a, laz er e esportes, a m i- lhões de crianças e jo v e ns.

V o cê f oi esco- lhida pelo presidente Lula para es- tar à frente do Pro grama de Aceleração do Crescimento (P A C ). Ganhan- do as eleições, v o - cê v ai dar contin ui- dade a esse projeto?

(Leonar d o Rodrigues Lima, presidente da As- sociação de Mor adores da Rocinha)

– Caso seja eleita, v ou le v ar adiante o P A C 2, que pr e vê in v estimentos em toda a in - fr aestrutur a lo gística e ener gética que nosso país pr ecisa par a contin uar cr es - cendo . Construir emos dois milhões de mor adias desti - nadas, principal - mente, par a a popu - lação de baixa r en - da, com a segunda eta - pa do Minha Casa, Minha V i - da. T ambém cons - truir emos seis mil cr ec hes; 800 pr a - ças com espa - ços de laz er , cultur a e esporte; 500 Uni - dades de Pr onto Atendi - mento; 8,6 mil Unidades Bá - sicas de Saúde; 2,8 mil pos - tos de polícia com unitária. In v estir emos R$ 57,1 bi - lhões em obr as de sanea - mento , de tr ansporte urba - no , de pr e v enção em ár eas de risco , com contenção de encostas e contr ole de enchentes.

A com u - nidade onde eu moro não é conhecida, a pesar de f az er parte do Comple xo de Mangui - nhos. E não f oi contempla - da com obras do P A C, em - bora seja m uito carente. De que f orma serão aten - didas as com unidades que não f oram inc luídas no PA C ?

(W oaiza Kelly, co - municador a social mor a - dor a da V ila São P edro)

– Decidimos que a seleção das com u nidades que r ece- beriam os in v e stimentos se- ria feita em par ceria entr e o Go v e rno F e der al, os esta- dos e o s m unicípios. Esta- dos e m unicípios são r e s- ponsáv eis por ela bor ar os pr ojetos, que depois são discutidos com o Go v erno F e der al. Os critérios de es- colha se baseiam principal- mente na necessidade das com unidades e n a via bili- dade das obr as.

Em visita r ecente à comunidade, candidata do PT foi entr evistada por popular es e líder es comunitários. A Agência de Notícias das Favelas, r esponsável pela entr evista, atua na divulgação de infor mações sobr e o que acontece nas favelas do Rio de Janeir o

PETIST A

– Políticas para comunidades no centr o das atençõesFabio Pozzebom/ABr

Continua na página seguinte.