Dilma condena panfletos contra sua candidatura e suposta ação de tucanos

Dona de gráfica suspeita é filiada ao PSDB e ir mã de coor denador de campanha de Ser r a

A candidata do PT à P r esidên- cia, Dilma Rousseff , comentou ontem a apr eensão de panfletos atacando a sua candidatur a, em uma g ráfica em São P aulo , e l a- mentou que haja a suspeita de en v olvimento do PSDB na con- fecção do material. – É lamentáv el. Houv e nessa campanha um pr ocesso que a gente r epudia, que é a publi - cação de materiais sem autor e com conteúdo que instaur a o ódio . Ela v ai ser in v estigada e se ti v er , r ealmente, ligação com o PSDB, é lamentáv el – disse a candidata. O PT an unciou que pedirá apur ação na J ustiça sobr e su - posta participação de tucanos com a g ráfica P ana, onde f or am encontr ados 2 milhões de pan - fletos com teor r eligioso e con - trários a Dilma. No r egistr o co - mer cial da g ráfica apar ece o no - me de Ar lety Satik o K oba y ashi, que seria filiada ao PSDB, e que é irmã de Sér gio K oba y ashi, co - or denador a de infr aestrutur a da campanha de Serr a. J osé Serr a negou, ontem, ter conhecimento sobr e a confecção do material de pr opaganda: – Não conheço o f olheto . T e - nho a inf ormação de que a Dio - cese de Guarulhos encomendou a uma g ráfica a impr essão de f olhetos emitindo orientações par a os seus fiéis – afirmou Ser - r a. – A despesa é por conta da diocese e ela tem pleno dir eito de manifestar -se sobr e ques - tões que consider a r ele v ante do ponto de vista da r eligião . A Confeder ação Nacional dos Bispos do Br asil (CNBB) negou que patr ocine qualquer tipo de pr opaganda a r espeito de r eco- mendações de v oto a qualquer candidato. Ontem à noite, Dilma deu en- tr e vista ao J ornal Nacional, antes de se encontr ar com um g rupo de artistas e intelectuais no T eatr o Casa Gr ande, no Rio .