DEM e PSDB entram com representação contra Cardeal

Par tidos quer em apurar se dir etor da Eletr obras fez tráfico de influência

Luiz Orlando Carneir o

BRASÍLIA

O PSDB e o DEM der am en - tr ada ontem, na Pr ocur ado - ria-Ger al da República, com r e - pr esentação , solicitando a ins - taur ação de inquérito par a apu - r ar o en v olvimento de V alter Car deal de Souza, dir etor da Eletr obr as – consider ado “ho - mem de confiança” da candi - data Dilma Rousseff – na prá - tica de crimes de tráfico de in - fluência, quadrilha, pr e v arica - ção e de impr obidade adminis - tr ati v a, com base em denúncias publicadas pela r e vista

Época

. Na r epr esentação , quatr o par - lamentar es da oposição afirmam que “as condutas descritas apon - tam par a um g r ande esquema de corrupção que pr ecisa ser in v es - tigado”, e que “deixam clar o que todas as condutas criminosas pos - suem, em sua gênese, estr eito vín - culo com a candidata à Pr esidên - cia, Dilma Roussef , então ministr a de Minas e Ener gia e posterior - mente ministr a da Casa Ci vil”. A petição é assinada pelos de- putados J oão Almeida (B A), líder do PSDB na Câmar a; Gusta v o F ruet (PSDB-PR), líder da mino- ria; P aulo Bornhausen (DEM-SC); e pelo senador Álv ar o Dias (PR), vice-líder do PSDB.

Repor tagem

A r eportagem da

Época

e ma- térias publicadas nos jornais des- te fim de semana r elatam que o banco alemão Kr editanstalt fur W ieder aufbau (KfW) empr estou 157 milhões de eur os às empr esas br asileir as W inimport e Hambur- go par a subsidiar a construção de usinas de biomassas no Sul do país, com gar antias dadas pela Companhia de Ger ação Térmica de Ener gia Elétrica (CGTEE), que er a pr esidida por Car deal. A CGTEE f oi fiador a do em- préstimo , e teria ignor ado os li- mites esta belecidos pela Lei de Responsa bilidade F iscal. Ainda de acor do com a r e vista

Época

, Car deal f oi den unciado pelo Mi- nistério Público F eder al por ges- tão fr audulenta e desvio de r e - cur sos, depois da Oper ação Na- v alha, da P olícia feder al, que des- bar atou um esquema de irr egu- laridades em obr as públicas. A p e- sar disso , ele assumiu a pr esidên- cia do Conselho d e A dministr a- ção da Eletr onorte e d e Furnas, “g r aças à pr oteção de Dilma Rousseff ”. V alter Car deal de Souza dis- tribuiu nota à impr ensa, na qual e xplica que o seu irmão , enge- nheir o E dgar Luiz Car deal “não pr esta ser viços a empr esas do Sis- tema Eletr obrás”, e que “tr a b a- lha como consultor , engenheir o e empr esário , par a pr ojetos do se- tor elétrico pri v ado , por meio da DGE Desen v olvimento e Gestão de Empr eendimentos, empr esa de sua pr opriedade”.

Divulgação

BERLINDA

– “Homem de confiança de Dilma”, Car deal é alvo de suspeita