PV e Marina viram os fiéis da balança

-->Rumor es indicariam apoio ao PSDB. Mas, para evitar conflitos, aposta seria na neutralidade-->Ana Paula Siqueira-->BRASÍLIA-->A pesar de derr otada nas urnas, a candidata do PV à Pr esidência da República, Marina Silv a, comemo - r ou ontem à noite a r ealização do segundo turno nas eleições pr esi - denciais. T er ceir a mais v otada, Ma - rina classificou sua candidatur a co - mo a primeir a colocada da “no v a política br asileir a”. Ela não adian - tou quem v ai apoiar no v otação de 31 de outubr o , alegando que essa decisão será tomada em conjunto com o PV e com os apoiador es de sua campanha. – Estamos feliz es e vitoriosos, por que, ainda que não tenhamos ido par a o segundo turno , o Br asil tem o segundo turno par a pensar duas v ez es. E quem sair deste pr ocesso sairá mais f ortalecido , sairá mais legitimado – disse a candidata, em entr e vista em um auditório no bairr o de V ila Ma- dalena, em São P aulo . Marina disse que nenhuma posição ainda f oi tomada com r elação ao segundo turno e r es - saltou que a decisão será to - mada pelo partido . Segundo ela, as entidades e os setor es da sociedade que apoiar am a sua candidatur a serão ouvidos. – V amos ter que esta belecer um pr ocesso de discussão nas ins- tâncias do partido e buscar es- tim ular um espécie de plenária com os núcleos vi v os que co - la bor ar am – disse Marina. –A nossa decisão será uma decisão que, no meu entendimento , não tem nada a v er com a v elha po - lítica, que se apr essa em ma - nifestar uma posição só par a vislumbr ar pontos lá na fr ente. Ela afirmou que esta v a satis - feita por ter conseguido com - pr o v ar que o melhor caminho par a sua candidatur a f oi o de não ter ido par a o “v ale-tudo eleitor al”, com o uso de denún - cias par a tentar tir ar v otos dos a dve r s á r i o s . – F oi acertado não termos ido par a o v ale-tudo eleitor al. Só nos dispomos a ganhar ganhan - do , e de per der ganhando . Aliás, não tem per da, só tem ganho . Se não f omos par a se - gundo turno , estamos em pri - meir o lugar de uma no v a po - lítica que se inaugur a no Br asil – completou a candidata.-->Destinos de Marina-->Com o poder de fiel da balança, r esta sa ber quem Marina apoiará no segundo turno . Rumor es indi - cam certa tendência de apoio ao tucano J osé Serr a. Mas Hélio Do yle, da UnB, acr edita que pelo histórico de Marina, é possív el que o partido mantenha uma posição neutr a. E então , será possív el conhecer o v er - dadeir o peso da candidata dentr o de seu próprio partido . – Marina saiu m uito bem da elei - ção e o partido não pode despr es - tigiá-la. Sobr etudo , por que ha v eria uma di visão do partido . A posição mais pr o váv el é não tomar posição . P ar a Eurico F igueir edo , da UFF , o mais sur pr eendente f oi ela ter conseguido ser a primeir a co- locada em locais como o DF , onde Marina conseguiu 40% dos v otos. A escolha pela candidata v er de mostr a que o eleitor encontr ou nela a “ter ceir a via”. – As pessoas acr editar am no que ela f alou. Ao contrário do diziam, os de bates influenciar am. O eleitor – do mais rico ao mais pobr e – pr ocur ou se inf ormar .-->V alter Campanato/ABr-->ONDA VERDE -->– Em discurso, Marina elogia adversários e não dá sinais de quem apoiará-->Com agências