Lei eleitoral permite desistência e troca

-->O artigo 13 da Lei das Eleições (Lei 9.504/97) dispõe: “É f acul- tado ao partido ou coligação subs- tituir candidato que f o r conside- r ado inelegív el, r en unciar ou f a - lecer após o termo final do pr az o do r egistr o ou, ainda, ti v er seu r egistr o indeferido ou cancela- do”. A escolha do substituto de v e ser feita na f orma esta belecida no estatuto do partido a que per- tencer o substituído . O nome e a f oto do r e n unciante, já constan- tes da urna eletrônica, não são substituídos. Mas, como e xplica o ad v o gado e e x-ministr o do TSE W alter Costa P orto , o r en u nciante pode – como cidadão e eleitor – participar da campanha do subs- tituto . Ou da substituta, W eslian Roriz, no caso do e x-go v ernador J oaquim Roriz, que r en unciou ao mandato de senador , em 2007, pa- r a também escapar de ser decla- r ado inelegív el, naquela ocasião acusado de que br a do decor o par- lamentar. O deputado J ofr an F r ejat (PR), vice na c hapa do candidato ao go v erno do Distrito F eder al pelo PSC, J oaquim Roriz, disse que te v e seu nome co gitado pelo pró- prio Roriz par a ser o ca beça de c hapa com a desistência do e x-go- v ernador . De acor do com F r ejat, lo go pela manhã, quando Roriz decidiu a bandonar a disputa, f oi c hamado à casa do e x-go v erna - dor par a discutir o assunto . Ro - riz pr opôs o seu nome par a subs - tituí-lo com a m ulher do e x-go - v ernador , W eslian Roriz, como vice. O deputado disse que pon - der ou, pr eferindo contin uar co - mo vice com a m ulher de Roriz como ca beça de c hapa. Segundo F r ejat, e xistiam três opções: Roriz desistir da candidatur a, ir par a eleição “sang r ando o tempo todo” sem uma definição sobr e a v alidade da candidatur a ou f az er a m u - dança na c hapa.-->Plínio-->O candidato à Pr esidência da República pelo PSOL, Plínio Sampaio , disse que a indefinição do STF sobr e a v alidade da Lei da F i c ha Limpa par a as eleições des- te ano f oi “um horr or”, e que “f altou cor agem” aos ministr os da Corte. P a r a Plínio , ca be ao elei- tor , na hor a de v otar , escolher can- didatos que não sejam alv o de irregulares.