Disputa familiar revela negócios clandestinos

-->O f ato é que as disputas ju - diciais entr e os irmãos Saad dificultar am m uito a captação de no v os in v estidor es pelo Grupo Bandeir antes de Com u - nicação . As tr apalhadas do pri - mo gênito ser vir am como uma ad v ertência ao mer cado: nego - ciar com um homem conhecido por J ohnn y talv ez não f osse bom negócio , de v em ter con - cluído , de modo jocoso . Ricar do não f oi o único Saad a acionar judicialmente o pró - prio irmão . Sua irmã Már cia também r ecorr eu ao J udiciá - rio par a impedir a entr ada de no v os sócios na Bandeir antes, conf orme pr ocesso da 1ª V ar a Cív el de Pinheir os, em São P aulo . A ação cautelar é mo - vida contr a o próprio J ohnn y . No pr ocesso , apoiada pela irmã Maria Leonor , Mar cia Saad sustenta que J ohnn y es - taria fec hando contr ato com o Deutsc he Bank, autorizado , ir - ção de parte de dívida e xterna da emissor a, orçada em US$ 100 milhões, com a tr ansferên - cia de ações aos cr edor es. Mar cia Saad sustenta que as oper ações são irr egular es, por que as cotas da sociedade estão arr oladas em in v entário e não podem ser negociadas sem as autorizações dos her - deir os e da J ustiça. Os quatr o irmãos conside - r am que o f ato de J ohnn y ter uma cota pouco maior do que eles não passa v a de mer a f or - malidade. Na prática, como o pai sempr e defendeu e esti - pulou documentalmente, o pa - trimônio er a dos cinco . Só que o primo gênito , mesmo sa ben - do disso , os tr aiu.-->As trapalhadas do primogênito ser viram como uma adver tência ao mer cado-->r egularmente, a ofertar no mer cado e xterno as ações da Bandeir antes. Outr a oper ação clandestina den unciada por ela é a tr amada entr e J ohnn y e a companhia Eur o v est Global Securities, par a a r enegocia -