A suposta gravação e a segurança nacional

Se ficasse comprovado que o então ministro da Cultura Marcelo Calero gravou uma conversa com o presidente da República, Michel Temer, a retaliação do Planalto poderia ser muito mais violenta do que se pode imaginar. 

Quando o ex-presidente Lula teve uma conversa gravada com a então presidente Dilma Rousseff, mesmo Lula estando, segundo a Polícia Federal e o Ministério Público, sob investigação, vários juristas apontaram crime de responsabilidade contra a segurança nacional por uma presidente da República estar na conversa.

Se este diálogo entre Calero e Temer tivesse sido gravado, o diplomata correria vários riscos, desde a garantia do emprego como diplomata até ser responsabilizado por atingir a segurança nacional. A Lei de Segurança Nacional proíbe a gravação de presidentes da República. O autor passa a responder a ação penal.