Michel Temer não foge de suas atribuições de vice-presidente

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), acusou na quinta-feira (25) a Polícia Federal (PF) de intimidar o candidato ao governo do Maranhão pelo seu partido, Edison Lobão Filho, ao fazer buscas no avião da campanha atrás de recursos ilegais. Filho do ministro de Minas e Energia, o candidato está em segundo nas pesquisas de intenção de voto, atrás de Flávio Dino (PCdoB).

Na condição de presidente do PMDB, Temer disse, em nota, ser “inadmissível que forças políticas sejam instrumentalizadas para atingir candidaturas legitimamente  constituídas”. Ele afirmou que a comitiva foi abordada por agentes da PF com armas em punho, na noite de quarta-feira, com base em uma denúncia anônima “durante o curso da disputa eleitoral intensa”.

“Sob o pretexto de buscar recursos ilegais de campanha, foram feitas buscas na aeronave, nos automóveis e na bagagem de membros da comitiva, numa ação intimidatória que, ao final, nada encontrou de irregular”, disse o vice de Dilma.

O vice-presidente da República não foge de suas atribuições de vice-presidente e presidente do PMDB no momento em que a ação cabe ao ministro da Justiça, ao delegado da Polícia Federal ou aos advogados de Lobão Filho.