De novo a Delta

Mais uma vez, a construtora Delta ganha destaque por estar, supostamente, envolvida em escândalos de corrupção e favorecimento. Desta vez, o dono da empresa, e um de seus diretores, apareceram em gravações associados ao empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, que seria envolvido com o jogo do bicho no estado de Goiás, e com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Gravações da Polícia Federal mostram que Carlinhos Cachoeira pediu a ajuda a Demóstenes para impedir a convocação do empresário Fernando Cavendish, dono da construtora Delta, para depor numa comissão da Câmara, em maio do ano passado, informou o jornal Folha de S. Paulo.

Outros arquivos de áudio gravados pela PF mostram que Carlinhos Cachoeira utilizou servidores da Infraero e da Receita Federal para obter facilidades na entrada e saída de mercadorias contrabandeadas no aeroporto de Brasília. 

Durante as investigações, ainda de acordo com a Folha de S. Paulo, os diálogos mostram que o chefe da Alfândega da Receita no Aeroporto de Brasília, Wagner de Castro, foi chamado para solucionar um impasse envolvendo malas de Cláudio Abreu, diretor da Delta Construções. 

Segundo a reportagem, o diretor da Delta aparece, em outras gravações, dizendo que Castro foi 'solícito', e que, por isso, faria uma visita a ele para "agradecer a cortesia dele e levar uma agenda pra ele".

Em nota, a construtora Delta informou que as "áreas de relacionamento institucional da empresa e o presidente do Conselho de Administração do Grupo Delta, Fernando Cavendish, desconhecem o teor, a motivação e a natureza do diálogo".

>> Gravações mostram favores de Demóstenes para empresário

>> Governo beneficia Delta Construções com isenção fiscal

>> Contratação sem licitação da Delta Construções paralisa obras em Cumbica