Visita do papa já traz benefícios a Hospital 

Pontífice visitou unidade de saúde na Tijuca durante a JMJ 

Quando o Papa Francisco visitou o Hospital São Francisco de Assis, na Tijuca, durante a sua passagem pelo Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), havia a esperança de que a sua presença e o contato com os dependentes químicos em tratamento no local, se transformasse em um legado. E assim está sendo. Graças à visibilidade que a unidade de saúde ganhou com a visita do Sumo Pontífice, o número de doações aumentou, possibilitando, por exemplo, que oito toneladas de alimentos, arrecadados após a JMJ, fossem enviados ao Haiti, através do projeto que o hospital mantém naquele país desde 2010.

No último dia 23 de julho, o Papa Francisco participou da cerimônia de inauguração do Polo de Atenção Integral à Saúde Mental (PAI) no São Francisco de Assis, que passará a funcionar no final deste mês de agosto. Orçada em R$ 2,5 milhões, investidos pela Conferência Episcopal Italiana, a ala terá uma emergência psiquiátrica 24h e 80 leitos, que estarão em pleno funcionamento até o final do ano. Este foi considerado pela Igreja Católica um dos maiores legados sociais da JMJ Rio2013.

Na esteira do PAI à Saúde Mental, a administração do Hospital São Francisco de Assis já pensa em novos projetos. Segundo o superintendente da unidade de saúde, Frei Francisco Belotti, já está sendo estudada a construção de uma casa de apoio a gestantes usuárias de drogas. “No momento, já estamos procurando um local próximo ao hospital para que possamos acompanhar essas gestações de risco, no futuro”, explica Frei Francisco, que prefere manter a cautela: “Temos esse projeto em vista, mas a prioridade momentânea é concretizar o legado do PAI à Saúde Mental”.

De acordo com o superintendente do São Francisco de Assis, a visibilidade do hospital após a visita do sumo pontífice também refletiu nos encontros vocacionais que a unidade realiza. “Mais de 70 jovens, a maioria leigos, já nos procuraram após a visita do Papa Francisco. O encontro serve para mostrar aos jovens as opções de vida que eles têm, que são a cristã, a familiar, a profissional e a vida consagrada”, ressalta o Frei Francisco Belotti.