Mercado Agora - Principais bolsas em queda

No momento, os principais mercados mundiais operam em queda. Na Europa, as Bolsas fecharam em desvalorização, Frankfurt em queda de 0,69%, Paris -0,92% e Londres recuou 0,35%.

Desde a semana passada os investidores mostram-se cautelosos em função da questão fiscal dos Estados Unidos. Nesta quarta-feira, os mercados encontram-se pressionados devido à expectativa de que a paralisação parcial do governo norte-americano dure mais do que o esperado. Vale ressaltar que permanece o impasse entre democratas e republicanos no que diz respeito à aprovação do orçamento fiscal do ano de 2014. Essa paralisação parcial não ocorria no país há 17 anos.

Além disso, os dados sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos foram considerados fracos pelos economistas. Em setembro, foram abertas 166 mil vagas no setor privado, segundo a pesquisa ADP. O resultado veio abaixo dos 178 mil novos postos de trabalho previstos por analistas. Destaca-se que a leitura de agosto foi revisada para baixo, de 176 mil para 159 mil empregos criados. Na sexta-feira, dia 04/10, será divulgado o relatório oficial sobre o mercado de trabalho nos EUA.

Em agosto, a produção industrial manteve-se estável na comparação mensal, em linha com a estimativa dos economistas. Em relação a agosto de 2012, o indicador recuou 1,2%, primeira queda desde março de 2013.

Dentre as categorias que compõe o índice, a produção de bens de capital se destacou positivamente ao subir 2,6% na comparação com julho. Já a produção de bens intermediários exibiu uma expansão mais modesta, de 0,6%. Tais altas, contudo, foram compensadas pela queda dos bens de consumo, cuja produção caiu 0,6%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou alta de 0,25% em setembro. Já em agosto, o IPC havia apresentado um avanço de 0,22%. O resultado veio de acordo com a estimativa dos economistas.