Maurren confia na volta do atletismo brasileiro ao pódio em 2016 

Maurren Maggi chegou a Londres esse ano como atual campeã olímpica do salto em distância e uma das maiores esperanças de medalha para o Brasil, assim como a campeã mundial no salto com vara, Fabiana Murer. No entanto, ambas sequer chegaram à final das respectivas modalidades, contribuindo para o fracasso do atletismo nacional, que deixou a capital inglesa sem subir ao pódio, fato que não ocorria desde Barcelona 1992.

"Vão ser mais quatro anos de espera, mas tenho certeza que o atletismo vai conseguir medalha aqui no Rio de Janeiro em 2016", afirmou Maurren, uma das atletas que chegaram ao País com a comitiva brasileira, na tarde desta segunda-feira, no Aeroporto Internacional do Rio, com a bandeira olímpica.

"É uma caminhada longa, então a gente vai se preparar da melhor maneira para brilhar com os atletas e com o público brasileiro", disse ainda ela, que aponta a sintonia com a torcida como ingrediente fundamental para o atletismo voltar a ganhar medalhas.

"A gente vai ter uma surpresa muito boa, porque o público incentiva muito, e torna-se muito importante. Ser empurrado pelo público brasileiro vai ser muito bom", afirmou a atleta, 36 anos, mesmo sem ter a certeza absoluta de que estará ainda competindo daqui a quatro anos.

"Quero sempre chegar como favorita, caso contrário é melhor estar parando, né? Mas eu estou bem ainda, de repente dá para mais uma olimpíada", opinou Maurren, que viu com muita alegria o fato de o País ter conquistado o pódio em modalidades em que poucos críticos e expectadores esperavam uma medalha, casos, por exemplo, do pentatlo moderno e do boxe.

"Isso é Olimpíada. Tudo o que a gente tem, todas as promessas, inclusive em relação a mim, só acontecem com quem está lá. Eu fiquei muito feliz com o que a gente conseguiu de medalhas (17 no total), foram várias inéditas, e temos que continuar apoiando", completou.