Imprensa estrangeira questiona nome de Havelange no Engenhão

Era para ser somente uma coletiva para apresentar o papel do Brasil na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres. Mas para um claro incômodo de integrantes do Comitê Organizador dos Jogos de 2016, os nomes de João Havelange e Ricardo Teixeira protagonizaram a entrevista, constrangendo especialmente Leonardo Gryner, diretor do Comitê. 

A imprensa estrangeira questionou de forma veemente o fato de o Estádio Olímpico da próxima Olimpíada, no Rio, levar o nome do ex-presidente da Fifa, João Havelange, condenado por corrupção.

"Não penso que dar o nome ao estádio seja prejudicial aos Jogos do Rio. Estamos muito orgulhosos por tudo que ele fez. Seja o que tenha feito de errado, foi punido pela Justiça e pagou pelo que fez", afirmou o diretor do Comitê dos Jogos 2016, Leonardo Gryner.

O executivo salientou que o Comitê Organizador dos Jogos de 2016 não tem o poder de alterar o nome do estádio, que pertence à prefeitura.

"O Comitê não dá nome aos estádios. Dono do estádio é o município. Não cabe ao comitê alterar nomes", observou.

O questionamento sobre Havelange e Teixeira começou quando Gryner disse que sentia orgulho dos atletas brasileiros. Foi a senha para um jornalista inglês perguntar a respeito do ex-presidente da CBF. Ricardo Teixeira orgulha também?", interrogou.

Gryner desconversou: "que eu saiba, Teixeira não foi atleta. Nossos esportistas nos orgulham".

Em seguida, ao Havelange ser abordado novamente, Gryner ressaltou ter orgulho do que o ex-presidente da Fifa fez pelo esporte. "Não nos incomoda ter estádio com seu nome. É uma lenda do esporte do Brasil".

Não faltou também questionamento sobre a presença de Pelé na organização de 2016, ao ser lembrado o episódio em que o governo brasileiro nomeou o maior jogador de futebol de todos os tempos como um dos embaixadores da Copa de 2014.

"Pelé trabalhou conosco na proposta da candidatura, e ajudou em muitas ocasiões. Ele esteve conosco no dia da escolha da cidade-sede, e teremos gosto de ter outras vezes no futuro. Amamos Pelé", afirmou Gryner.