Com Seleção em pior ranking da história, Marcelo quer recuperar prestígio 

Ao mesmo tempo em que vive a expectativa de ganhar a sua primeira medalha de ouro olímpica, a Seleção Brasileira atingiu sua pior marcar na história do ranking da Fifa. Nesta semana, a lista coloca o Brasil apenas em 13º lugar, e o lateral esquerdo Marcelo acredita que parte do prestígio será recuperado com uma vitória diante do México, neste sábado, às 11h (de Brasília), no Estádio de Wembley, na decisão dos Jogos de Londres.

"Eu acho que a Seleção tem que recuperar o prestígio com vitórias e títulos. E esse é o nosso objetivo. Cada jogo, cada amistoso temos que dar o máximo para colocar a Seleção no lugar dela. Todos vão dar o máximo, chegando em uma final, e mostrar que a Seleção é muito boa e que todo mundo respeita", afirmou.

Durante o último ano, alguns jogadores como o goleiro Júlio César e o zagueiro Thiago Silva contaram que receberam provocações de companheiros de clube por conta da má fase da Seleção Brasileira. Com fracassos nas últimas duas Copas do Mundo e derrotas em amistosos contra os grandes neste atual ciclo, o país antes visto como o mais poderoso do futebol sofre com a instabilidade.

Por isso, a partida diante do México, neste sábado, mostra-se fundamental na tentativa da Seleção de recuperar seu espaço. Marcelo diz que está convivendo com a ansiedade de uma partida que pode fazer desta geração a primeira a conquistar o ouro olímpico.

"Não tem fácil em nenhum dos dois. Dá aquele frio na barriga, vontade de jogar. Mas temos que saber segurar essa euforia de chegar à final. Estamos muito concentrados, tenteando ficar tranquilo antes do jogo", afirmou.