COI pretende ampliar boxe feminino nas próximas Olimpíadas 

O sucesso do boxe feminino nos Jogos de Londres pode ter sido a senha para a expansão da modalidade praticada por mulheres na próxima Olimpíada. O Comitê Olímpico Internacional (COI) pretende se reunir com a Federação Internacional de Boxe para discutir um aumento na participação das lutadoras nas edições futuras da principal competição esportiva do mundo.

Porta-voz do COI, Mark Adams disse nesta sexta-feira que integrantes do comitê ficaram impressionados com a repercussão do boxe feminino em Londres.

"Há planos de se reunir com os responsáveis pelo boxe e discutir isso. Mas para ampliar o número de atletas, é preciso que haja mais boxeadoras praticando. Não depende só da vontade do COI", afirmou.

Adams não detalhou se novas categorias poderiam ser incluídas. Nos Jogos de Londres, boxeadoras disputaram pela primeira vez na história medalhas olímpicas nas modalidades mosca, leve e médios. A brasileira Adriana Araújo obteve o bronze na categoria leve.

O representante do COI frisou que o órgão sempre busca equilíbrio entre homens e mulheres em todas as modalidades, e que o objetivo é que isso seja alcançado no boxe. Adams acrescentou que o mesmo de aplica a outros esportes. Ele exaltou o fato de que todas as 204 delegações inscritas em Londres mandaram representantes do sexo feminino em suas equipes de competição; contudo, ponderou que ter mulheres competindo não é o suficiente.

"As federações de todo o mundo têm que proporcionar às atletas condições para que elas sigam treinando, melhores seus desempenhos, e que mais mulheres pratiquem esportes", observou.