Fora, brasileiros dos 200 m focam revezamento: "dá pra beliscar medalha"

A tão sonhada final olímpica dos 200 m ficou no quase para os brasileiros Bruno Lins e Aldemir da Silva Junior. Eliminados na semifinal, os atletas lamentaram o fato de não conseguirem melhorar suas melhores marcas na temporada, mas saíram orgulhosos do ponto em que conseguiram chegar nos Jogos Olímpicos de Londres. Sem se mostrarem abalados por ficar de fora, a dupla quer focar agora no revezamento 4 x 100 m.

"É duro, eu estava em uma série muito forte, mas para quem queria chegar a uma final de uma Olimpíada não tem que escolher adversário. Então, acabou que foi sendo boa a prova, o tempo não foi tão legal, mas eu gostei do meu comportamento. Não fiquei ansioso, fiquei tranquilo. Eu queria muito estar nesta final, mas não foi dessa vez", disse Bruno Lins. "Fiz 20s55. Meu melhor no ano foi 20s37 no Troféu Brasil. Eu acho que poderia ter melhorado, mas não deu".

Já Ademir culpou a estratégia adotada na prova por ter feito um tempo abaixo do esperado. "Esta cara é de quem cumpriu um objetivo e está feliz porque chegou até aqui. É isso, estou feliz, queria ter feito um resultado melhor, mas não deu infelizmente. Queria ter dado meu melhor tiro na semifinal, eu forcei em lugares que não tinha que ter forçado, como na curva. Eu acho que forcei, acelerei demais e faltou perna no final", afirmou.

"Meus objetivos eram melhorar minha marca e chegar na final. Passei das eliminatórias, que também são muito difíceis. Não melhorei, mas estou feliz de ter chegado até aqui. Tem que ter uma longa jornada para alcançar o que alcancei hoje. Muitos não chegam por falta de apoio até.Tentei representar o meu lugar, tomara que o povo fique feliz por ter chegado até aqui", complementou.

Confiante, os dois dizem que agora é força máxima na prova de revezamento 4 x 100 m, na qual acreditam que o Brasil possa conseguir subir no pódio. "Tem tradição, temos que acreditar. Eu não vou abaixar a cabeça, está todo mundo muito bem, fico triste por não ter feito o meu melhor. Queria muito ter feito o meu melhor. É isso, tem tempo, vamos focar no revezamento, treinar forte. A gente tem tradição nesse revezamento. Estou confiante que a medalha vem", disse Bruno Lins. "Tem o revezamento, o pessoal está bem e acho que dá para beliscar uma medalha", falou Ademir.