Dilma parabeniza vôlei feminino por vitória épica sobre russas 

A presidente Dilma Rousseff deu como exemplo a seleção feminina de vôlei na Olimpíada para falar sobre "dedicação" e "resistência". A presidente lembrou que já praticou o esporte e que "era uma boa levantadora". Ela admitiu que não era boa atacante, o que provocou risos em um evento de lançamento de programa para prevenção de desastres naturais.

"Nesse tempo de olimpíada, nós vimos no jogo de basquete (sic) feminino, quando disputamos até o fim e ganhamos, porque nos dedicamos", disse a presidente, que logo em seguida se corrigiu, "quis dizer vôlei". Ontem, a seleção feminina comandada por José Roberto Guimarães venceu apenas no tie-break uma partida dramática contra a Rússia, carrasca da olimpíada de Atenas.

Dilma retomou o raciocínio e disse que "ali, implicou uma teimosia e uma resistência ao desafio". O Brasil chegou a estar perdendo por 2 sets a 1 na partida, e teve que salvar seis match points no quinto set.

A partida aconteceu durante o horário de expediente da presidente. No momento, ela estava recebendo o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, em seu gabinete. "Eu gravo (o jogo). Não ligo de saber o resultado antes", explicou Dilma.

Ao dizer que não era boa atacante no vôlei, uma autoridade brincou e disse que hoje ela "corta" (fazendo um duplo sentido entre o ataque no vôlei e o corte do orçamento). Dilma encarou a brincadeira com bom humor e reiterou: "pois é, hoje eu corto".

Presidente espera "novas medalhas" em Londres

Além do vôlei, Dilma se mostrou atenta ao desempenho do Brasil em outros esportes coletivos nos Jogos Olímpicos. "Esse país é bom em futebol, vôlei e basquete. E é onde eu ainda espero o ouro", comentou a presidente.

Além do vôlei, que está nas semifinais no feminino e no masculino, as equipes masculinas do futebol e do basquete também estão na disputa pelo ouro olímpico. Enquanto o futebol vai enfrentar no sábado o México pela decisão do Torneio Olímpico, o basquete encara a Argentina nesta quarta-feira pelas quartas de final. As duas seleções estão na busca de um inédito ouro. O vôlei masculino foi campeão em Barcelona (1992) e Atenas (2000), enquanto o feminino conquistou em Pequim (2008).

Após o comentário, a ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, cochichou com a presidente a respeito do judô, que deu quatro medalhas ao país em Londres. Dilma então ressaltou a desejo de "novas medalhas". "E no judô nós já temos (medalha), eu quero medalhas novas", respondeu a presidente.