Em 36º no triatlo, brasileiro vê falha na natação e busca evoluir 

O Brasil ficou longe das primeiras colocações na disputa do triatlo da Olimpíada de Londres. Nesta terça-feira, no Hyde Park, Reinaldo Colucci finalizou sua participação na 36ª colocação, com o tempo de 1h50min59. Já Diogo Sclebin acabou a prova na 44ª posição, com 1h51min51. Para Colucci, o que atrapalhou seu desempenho foi um início ruim na natação, primeira parte da prova.

"Tenho certeza que a minha falha hoje foi nos primeiros cinco minutos da prova. Acho que larguei inclusive bem, mas na hora de contornar as boias me envolvi no grupo, apanhei muito e não consegui nadar. Quando saí das quatro primeiras boias, antes dos primeiros 500 m, já estava isolado no segundo grupo", explicou.

Para o triatleta, somente com a melhora na natação ele poderá ter condições de disputar entre posição entre os melhores competidores. O foco de Colucci é agora se preparar para a Olimpíada do Rio de Janeiro, tendo como meta os treinos na piscina.

"Acho que tenho armas para brigar na bicicleta e na corrida pelas primeiras posições, acho que tenho performance para isso. No entanto, preciso corrigir a minha natação. Enquanto eu não tiver o domínio total da natação, não vou conseguir brigar pelas primeiras posições. Agora são quatro anos de trabalho duro na piscina para melhorar a natação e conseguir um ótimo resultado para o Brasil em 2016", afirmou.

"O triatlo está em um nível que não admite mais ter uma modalidade fraca ou parte de uma modalidade fraca. Então preciso melhorar esses cinco primeiros minutos da natação para assim brigar por medalha", disse Colucci.

O ouro do triatlo foi para o britânico Alistair Brownlee (com um tempo de 1h46min25), que viu seu irmão Jonathan terminar com o bronze 31s depois. A prata ficou com o espanhol Javier Gomez (1h46s36). A melhor participação do Brasil em Olimpíadas no triatlo ocorreu em Sydney 2000, quando Leandro Macedo terminou em 14º.