Dueto evita polêmica com notas, mas crê que no Brasil seria diferente 

A dupla Lara Teixeira e Nayara Figueira viu a esperança de chegar à final olímpica acabar por pouco pela segunda vez na carreira. Assim como aconteceu em 2008, o dueto ficou na 13ª colocação, a uma de chegar à decisão. Dessa vez, o sofrimento foi maior porque elas foram ultrapassadas pela dupla coreana Park Hyun-Ha e Park Hyun-Sun nas últimas apresentações e por apenas 0,060 ponto. Apesar de serem uma das poucas duplas que teve uma nota mais baixa na rotina livre do que na rotina técnica, Lara e Nayara preferiram não entrar em polêmicas com os juízes.

Após dizerem antes de saberem o resultado que não era a nota que esperavam, o dueto preferiu apenas julgar que o fato de ficarem fora por tão pouco faz parte do esporte. "Nunca tínhamos perdido por uma diferença tão pequena. Mas isso é o esporte, isso é a vida e faz parte. A gente tem que saber lidar com isso, saber ganhar e perder. Isso é uma lição para vida, para gente continuar com a cabeça erguida, sabendo que a gente fez o melhor que a gente pôde", disse Lara.

Apesar de não entrarem em polêmica, a dupla acredita que se o evento acontecesse no Brasil, como ocorrerá em 2016, o resultado poderia ser outro. "A gente viu que a Grã-Bretanha entrou e cresceu junto com o público. A gente viu 18 mil pessoas torcendo juntas, agitando as bandeiras. Acho que isso leva um pouco até na vibração, na energia, na nadada do dueto. Então quem sabe em 2016, com todo o apoio do público, com todo mundo que vai estar lá, seja um pouco diferente para gente".

As atletas, pelo menos, podem festejar o fato de não terem que entrar na piscina novamente e encarar os jurados de frente após a eliminação. Normalmente, as duplas que terminam na 13ª colocação voltam a fazer sua apresentação no dia da decisão para aquecer os jurados para os duetos finalistas que entram a seguir. "Ainda bem na Olimpíada não tem isso, então a gente não vai ter que voltar", disse Nayara.