Japão repete feito de 1996, derruba favoritismo e vence Espanha 

A Espanha voltou a decepcionar na estreia de um torneio importante. Na tarde desta quinta-feira, em Glasgow, a equipe acabou surpreendida pelo Japão na estreia do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Londres. Mesmo diante de uma formação favorita ao ouro, que contou com jogadores como Juan Mata e Javi Martínez, a equipe oriental soube fechar os espaços, minar a soberba posse de bola rival e vencer por 1 a 0, disparando na liderança do Grupo D logo na primeira rodada.

A vitória desta quinta-feira ratificou o Japão como um grande algoz de favoritos em estreias olímpicas. Em seu primeiro jogo no torneio de futebol dos Jogos de 1996, em Atlanta, o time oriental surpreendeu logo o Brasil. Mesmo contando com nomes como Ronaldo, Bebeto e Rivaldo, a Seleção acabou superada por 1 a 0, gol famoso no qual Dida e Aldair se atrapalharam.

Embalado pela vitória diante de um dos principais favoritos ao ouro, o Japão poderá encaminhar a classificação diante do Marrocos, no próximo domingo, às 13h (de Brasília). Na mesma data, mas às 15h45, a Espanha buscará a reabilitação diante de Honduras - africanos e hondurenhos empataram por 2 a 2 na abertura do Grupo D.

Candidatíssimo à medalha de ouro nos Jogos, o time espanhol logo nos primeiros segundos impôs o conhecido estilo de jogo baseado na posse de bola e na paciência. Diante de um adversário retraído, a equipe europeia encontrou dificuldades e criou pouco. Lenta e com o meia Juan Mata, do Chelsea, pouco inspirado, o time comandado pelo técnico Luis Villa parou na eficiente marcação, e ainda viu o rival contra-atacar de maneira perigosa.

Satisfeito apenas em anular o jogo espanhol no início do confronto, o Japão complicou a Espanha de fato aos 34min. Depois de levantamento para a área, o meio-campista Yuki Otsu subiu mais alto que a defesa adversária e estufou as redes do goleiro David De Gea, do Manchester United. O lance resultou no fim da paciência e tranquilidade dos ibéricos até o final da etapa final.

A conversa nos vestiários recuperou o ânimo da equipe espanhola. Entretanto, apesar do nervosismo aparentemente controlado, o time cometia erros inadmissíveis no campo defensivo. Sem criatividade, a Espanha abusava de bolas para o brasileiro naturalizado Rodrigo, que disputava sozinho a bola com o firme sistema defensivo oriental.

Para tentar mudar a partida e buscar o empate, Luis Villa colocou em campo o meio-campista Oriel Romeo, do Chelsea, e Christian Tello, do Barcelona. Contudo, diante de um adversário seguro e bem postado defensivamente, o país europeu não conseguiu evitar a primeira grande zebra no torneio olímpico de futebol masculino.