Marta explica dancinha e nega favoritismo após 5 a 0 

A dancinha de Marta após o gol de pênalti anotado sobre Camarões - o terceiro da goleada por 5 a 0, na estreia da Seleção feminina na Olimpíada nesta quarta-feira, em Cardiff - teve um significado maior do que simplesmente a alegria de marcar. De acordo com a camisa 10 do Brasil, os passos foram uma homenagem à meio-campista Elaine, cortada pouco antes do início dos Jogos por conta de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda.

"A dancinha é uma musica que a Elaine costumava ouvir com a gente, ela que ensinou a gente a dançar, então foi em homenagem a ela. Eu estava já com isso na cabeça, e se tivesse alguma oportunidade de fazer o gol ia dedicar para ela", contou Marta, que aproveitou para rebater qualquer favoritismo brasileiro em busca do inédito ouro olímpico, após a ótima exibição contra o time africano.

"Isso (favoritismo) é por parte dos torcedores, a gente nunca chegou em uma Olimpíada com status de favorito para a gente. Sabemos que tem muitas seleções de alto nível, com capacidade de sair vencedoras também. Essas coisas não são legais da gente absorver. O positivo é crescer gradativamente dentro da competição", minimizou.

O futebol feminino do Brasil ainda tenta um título de primeiro nível no cenário mundial: o mais perto que chegou foi nas Olimpíadas de 2004 e 2008, perdendo ambas as finais para os Estados Unidos, e na Copa do Mundo de 2007, quando o algoz na decisão foi a Alemanha. Para Marta, a goleada sobre Camarões, 50º no ranking da Fifa, pode servir de parâmetro para mostrar que a equipe está bem preparada.

"A gente estudou bastante Camarões, tinha vídeo, viu jogadas ensaiadas, jogadas aéreas. Então a gente veio preparada. Ganhamos o jogo por 5 a 0 não porque Camarões não é forte, elas são muito rápidas. O que prevaleceu hoje foi o posicionamento da equipe para a hora que teve que defender e atacar", avaliou.