Brasileiro do 4x100 metros se diz recuperado após contusão em voo 

A equipe do revezamento 4x100 m do Brasil acredita estar qualificada para a disputa do pódio nos Jogos Olímpicos de Londres. O time, formado por José Carlos Moreira (Codó), Aldemir Gomes, Sandro Viana, Nílson André e Bruno Lins (quatro vão para a prova) diz estar pronto física e psicologicamente para a prova. Porém, Nílson André conta ter passado por um grande susto ainda no voo para a Inglaterra.

"Tínhamos feito um treinamento forte às vésperas do embarque e no voo, de 12 horas, eu vinha sentado lá atrás (na classe econômica). Foi quando tive um espasmo muscular. Começou a doer e eu saí da aeronave sem conseguir andar direito. Na hora nem falei nada com ninguém. Estava todo mundo dormindo ", disse.

Ele conta que, às vésperas de uma competição importante como os Jogos Olímpicos, o atleta sente medo de ter qualquer problema físico e, consequentemente, ficar fora da disputa. "Fiquei mais tranquilo ao saber que era só um espasmo. Fiz tratamento com massagem, gelo e depois disso consegui boas marcas. Posso dizer que estou recuperado e foi só um susto.

O aleta diz que a maior possibilidade para o Brasil na prova é a disputa pela medalha de bronze, cujo principal adversário é Trinidad & Tobago. "Chegar no nível da Jamaica e dos Estados Unidos, os favoritos, será muito difícil. Mas temos chances reais da disputa pela medalha de bronze", afirma.