Brasileiros recém-chegados à Vila admitem 'deslumbramento olímpico' 

Atletas brasileiros que chegaram à Vila Olímpica no fim de semana passado confirmaram ter ficado impressionados com o gigantismo do local e admitiram um certo deslumbramento em estar nos Jogos Olímpicos de Londres. Eles, no entanto, disseram que vão seguir uma rotina rígida para não perderem o foco na competição.

Maria Elisa, que faz dupla no vôlei de praia com Talita, afirmou ter se preparado psicologicamente nos últimos meses para todo o cenário olímpico que está encontrando. Ela disse ter tido conselhos com sua parceira nas quadras e ter conversado com atletas e ex-atletas que já participaram do evento para tentar se ambientar com a realidade que está começando a viver.

"O difícil é não se deslumbrar com tudo isso, é tudo muito grande, muitos ídolos circulando. Você se sente um atleta olímpico de verdade. Para não se deslumbrar, vou fingir que estou no circuito mundial, tentar enganar o cérebro com isso, fingir que está num ambiente normal. Mas é difícil", afirmou a jogadora, que participou da cerimônia de hasteamento da bandeira brasileira na Vila Olímpica, na manhã desta segunda-feira.

Maria Elisa havia chegado à Vila poucas horas antes, e contou ter conhecido pouco ainda do local. Para não se deixar levar pelas distrações que a Vila oferece, como boate e spa, além do contato constante com outros atletas, ela ressaltou que vai instituir uma rotina diária e seguí-la com rigidez.

"Não estamos aqui por acaso, a gente tem que treinar, tem que malhar, assistir jogos de adversários. Se colocar os horários em ordem e fizer tudo que tem que fazer, dá para ajustar. Se mantiver rotina, vamos ter foco. É difícil, mas temos que arrumar uma maneira de se concentrar totalmente", observou.

Jaqueline Ferreira, que será a única brasileira a competir no levantamento de peso, afirmou que está tentando tirar o máximo possível da cabeça que está em Londres para disputar uma Olimpíada.

"Não tem como não se deslumbrar. Estou tentando abstrair tudo. É uma emoção, é um sonho, desde criança via essas coisas na televisão e achava muito lindo. Sempre dizia que queria estar aqui", opinou.

Para o boxeador Yamaguchi Florentino, há dois dias na Vila Olímpica, o contato com os principais atletas do mundo é uma "oportunidade única". Ele admitiu que há "perigos", como a boate do local, mas salientou que tudo depende da concentração de cada um.

"Se o cara estiver focado, ele não vai se perder nas tentações daqui. Mas realmente é difícil não se deslumbrar. É até normal", completou.