Atletas universitários inauguram Estádio Olímpico de Londres

Nem Asafa Powell, nem Usain Bolt. Os primeiros atletas a se apresentar no Estádio Olímpico de Londres foram jovens estudantes britânicos. O palco do atletismo nos Jogos de 2012 foi oficialmente inaugurado neste sábado diante de mais de 40 mil torcedores, como parte do último grande evento-teste antes da abertura das competições em 27 de julho.

O Estádio Olímpico de Londres recebe neste final de semana as competições de atletismo de universidades e faculdades da Grã-Bretanha. Com isso, as promessas do esporte local têm a oportunidade de conhecer o palco em que será disputada a prova mais badalada de uma olimpíada: os 100m rasos.

"Essa pista está mais do que aprovada", brinca David Bishop, que correu os 1500m neste sábado. "É realmente muito empolgante saber que a medalha de ouro olímpica será disputada aqui por nomes como Usain Bolt. Espero chegar ao mesmo nível desses competidores um dia", afirma.

Bishop acredita que a pista de atletismo está em condições de proporcionar a quebra de recordes durante os Jogos. No entanto, o jovem aposta que a torcida poderá fazer a grande diferença durante as competições. "Você viu o barulho que o público fez aqui durante as nossas provas. Na Olimpíada, será ainda maior. Com certeza, os torcedores vão fazer muita diferença", diz.

O estudante explica que "a pista, em si, é bem rápida. Mas, hoje em dia todas as pistas novas têm muita qualidade. Por isso, acho que o barulho e a empolgação do público é que vão acabar desequilibrando".

Sophia Papps, que correu os 100m rasos nesta tarde, também se disse impressionada com a vibração do público no Estádio Olímpico. "É algo incrível. A multidão literalmente te empurra durante a prova. Uma experiência impressionante não só para os atletas, mas também para o público, como dá para ver no rosto de todos que estão aqui". Papps concorda que recordes cairão durante os Jogos de Londres. "Essa pista é muito rápida. Espere grandes realizações durante a Olimpíada, sem dúvida", completa.

Além da torcida local, os atletas universitários britânicos ainda contaram com o apoio de Sebastian Coe. Muito antes de se tornar presidente do Comitê Organizador dos Jogos de 2012, Coe ganhou duas medalhas de ouro correndo os 1500m em Moscou (1980) e Los Angeles (1984).

O ex-atleta destaca a importância do esporte universitário britânico. "58% da delegação da Grã-Bretanha nos Jogos de Pequim era formada por atletas que tiveram base nas universidades do país. Isso mostra como esses jovens são relevantes", destaca. "Por isso, realizar um evento desse, com enorme participação do público, não é nada mais que uma forma de agradecimento", finaliza.