Sites de apostas esportivas ganham visibilidade patrocinando clubes e campeonatos

.

Foto: divulgação
Credit...Foto: divulgação

Um dos mercados que mais crescem para os sites de apostas esportivas nos últimos anos tem sido o brasileiro. O cenário por aqui tem se tornado parecido com o de outros países como a Inglaterra, onde na Premier League as marcas deste tipo de site estão presentes nos uniformes de praticamente todos os times da competição.

No Brasil o aumento deste investimento do setor de apostas pode estar relacionado à proximidade do surgimento de uma regulamentação para a atividade.

Para se ter uma ideia do tamanho do crescimento, em 2018 não havia nenhuma marca de sites de apostas esportivas sendo estampadas nos uniformes dos clubes brasileiros. Em dezembro daquele mesmo ano, uma lei ainda no governo Michel Temer legalizou o setor.

Hoje, em 2021, esse número é de oito diferentes marcas estampadas em pelo menos 17 uniformes dos principais times do país somente na série A. Ou seja, 85% dos clubes da elite esportiva do país possuem patrocínio de casas de apostas esportivas.

Um destes sites, por exemplo, a Betfair, vai além e patrocina competições que vão desde a Libertadores, Copa América e até mesmo as eliminatórias da Copa. Suas campanhas publicitárias no Brasil são feitas por uma das maiores agências de publicidade do país, a Ogilvy.

Enquanto muitos ainda se questionam sobre a regulamentação do setor no Brasil existe uma explicação para que se entenda por que é legal apostar na Betfair e em outros sites de apostas esportivas.
A explicação passa por cada país, e o Brasil é um dos que ainda discutem seu processo de regulamentação.

Alguns países optaram por não proibir os sites de apostas on-line, mas exigiram que, para que essas casas contem com usuários em seu território, tenham que ter uma licença local. Um dos casos mais conhecidos nesse sentido é o de Portugal, e este é o mesmo processo pelo qual o Brasil está passando no momento.

Por aqui, uma legislação de 2018 aprovou a atuação dos sites de apostas on-line. Falta, no entanto, ainda a regulamentação para que haja a emissão de licenças por um órgão regulador. Os sites que têm licenças para operar em diversos países, muito provavelmente, precisarão solicitar também a permissão aqui no Brasil. No entanto, ainda não é possível fazer isso agora.

Essa lei aprovada em 2018 concedeu ao governo federal o prazo de dois anos para que a regulamentação fosse feita. Já houve anúncio de algumas versões do documento final. Entretanto, nenhuma delas passou por aprovação, e o assunto ainda segue em discussão. Como não haja a aprovação da regulamentação dentro do limite de prazo estabelecido de 2 anos, automaticamente o prazo se estendeu até 2022, o que também estava previsto na lei. Espera-se que em breve deva ser feita nova votação no Congresso para estabelecer as diretrizes para o assunto.

Até lá, ainda que o processo de regulamentação esteja tramitando, será possível presenciar cada vez mais o crescimento da visibilidade das casas de apostas esportivas on-line em nosso país. Afinal, nenhum dos sites quer ser o último a estar presente na cabeça dos usuários assim que o processo de regulamentação for finalizado.

Jorge Alvarenga é torcedor do Palmeiras e apostador on-line

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais