A interessante história do mercado de jogos no Brasil

O Brasil é um dos países com maior consumo de games no mundo. Para chegar neste ponto, existe uma interessante história sobre o mercado de jogos no país. Confira!

Freepik
Credit...Freepik

Comprar um equipamento para jogar videogame em casa ou mesmo baixar um jogo no smartphone virou uma atividade comum para milhares de brasileiros nos últimos anos. Entretanto, essa popularização precisou de décadas para se concretizar e representa uma parcela da interessante história do mercado de jogos no Brasil.

Desde a chegada dos primeiros jogos eletrônicos em território nacional, passando pelo consumo das massas, até a atualidade com agências brasileiras desenvolvendo games, o segmento de jogos nunca ficou estagnado e mostra o quanto o lazer é importante para a economia.

Basta observar o ranking mundial de consumo de games: o Brasil está na 13ª posição em nível global, sendo o maior mercado consumidor da América Latina.

Mas, para entender como o cenário de games eletrônicos chegou neste ponto, é preciso conhecer e compreender a interessante história do mercado de jogos no Brasil.

As casas de apostas e a chegada das slot-machines no Brasil
Antes mesmo dos consoles portáteis, em que uma pessoa precisava comprar um equipamento e instalar em sua casa para jogar, outras modalidades de jogos já estavam em pleno funcionamento no Brasil.

Um bom exemplo está nos chamados jogos de azar que, de acordo com pesquisas, chegou ao país junto com a família real portuguesa e pode ser considerado como um dos primeiros games a funcionar por aqui.

Em 1920, as casas de apostas foram liberadas, mantendo-se em funcionamento por 26 anos, até ter a proibição decretada, em 1946. Foi a partir desse marco que as máquinas caça-níqueis começaram a fazer sucesso. Assim, para entender a história das slot machines é preciso levar em consideração que, por muito tempo esse era o único meio de lazer ligado aos jogos no Brasil.

Com as máquinas slots, os brasileiros puderam ter um primeiro contato com os games eletrônicos e, à medida que as máquinas evoluíam em termos de qualidade técnica, as pessoas se preparavam para um mercado de games focado na diversão dentro de casa.

Videogames chegam às casas brasileiras
Com a evolução da tecnologia, jogos eletrônicos começaram a ser desenvolvidos em países como Estados Unidos e Japão, que levavam essa proposta para outros cantos do mundo por meio da exportação.

Por aqui, o primeiro videogame a entrar no Brasil foi o Telejogo, em 1977, lançado graças a uma parceria entre Ford e Philco, que era a fabricante do jogo na época e havia sido comprada pela empresa especializada em automóveis.

O Telejogo era inspirado nas chamadas máquinas de Pong que, originalmente, foram criadas pela Atari. Seu catálogo contava com três games, sendo eles Paredão, Tênis e Futebol.

Com o tempo, os equipamentos da Atari também chegaram por aqui, reforçando o interesse do público nacional por essa modalidade de entretenimento.

Abertura do mercado de jogos no Brasil
Mas engana-se quem pensa que o Brasil não tinha fabricantes próprios para os jogos eletrônicos. Ainda nos anos 70, algumas empresas se arriscaram no mercado, como a Politron de Porto Alegre, que foi responsável pelo game estilo Pong chamado Videorama.

Entretanto, a partir dos anos 80, fabricar videogames por aqui deixou de ser uma prioridade, fazendo com que o mercado se especializasse em trazer marcas que já eram reconhecidas em outros países para o Brasil.

Foi assim que a Tectoy conseguiu a representação da Sega e a Master System trouxe o NES para o país, dois produtos que se tornariam um grande sucesso entre os jogadores brasileiros, consolidando-se nos idos dos anos 90.

Macaque in the trees
... (Foto: Freepik)

Esse período de importação de jogos foi essencial para o consumo de jogos no Brasil, fazendo com que o mercado internacional passasse a ver o potencial de vendas que o público brasileiro apresentava.

Cenário atual de games
Conforme a tecnologia de desenvolvimento foi chegando ao país, pequenas empresas começaram a criar games próprios. Um bom exemplo é o Aeroporto 83, título considerado como o primeiro jogo eletrônico feito no Brasil, que foi criado ainda nos anos 80, quando os recursos eram limitados.

Hoje, o Brasil é um dos países que mais consomem games, o que fez com que oportunidades apareçam no ramo de desenvolvimento. Além dos jogos para videogame, o mercado tem uma alta demanda em jogos para dispositivos móveis, assim como títulos de cassinos online, que replicam clássicos como as slot machines em um ambiente virtual.

Não é por acaso que dezenas de empresas brasileiras atuam no desenvolvimento de títulos, para diferentes plataformas e propostas, fomentando a economia ao permitir que novos negócios surjam por meio de tecnologia.

Macaque in the trees
... (Foto: Freepik)

E com o mercado de games consolidado, a previsão para o futuro só pode ser otimista. Assim, seja para apostar online, jogar um game no console ou optar por um jogo no smartphone, não faltam opções para relaxar e se divertir com os jogos eletrônicos - definitivamente, uma parte da identidade dos brasileiros.



...
...
...