Mudança de local de eventos da JMJ leva metrô a adotar esquema especial

A transferência da vigília e da Missa de Envio, de Guaratiba, na zona oeste, para a Praia de Copacabana, na zona sul, levou o MetrôRio a montar esquema de operação especial neste fim de semana para atender aos eventos que fazem parte da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A operação já começou, com as estações funcionando 24 horas desde as 7h de ontem (25). O esquema vai até a manhã de segunda-feira (29).

As linhas 1 e 2 operam até a Estação Siqueira Campos. Todas as estações estão abertas, exceto Presidente Vargas, Cinelândia, Catete e  do Cantagalo, que foram fechadas, segundo o MetrôRio, para agilizar a viagem e atender ao aumento do fluxo em direção a Copacabana. Nas estações de maior movimento, caso haja necessidade, haverá controle de fluxo antes do embarque de passageiros para que evitar tumulto na entrada e saída dos vagões.

A princípio, o esquema seria apenas para ontem e hoje, e só poderiam embarcar, das 12h às 19h, os passageiros que tivessem comprado o cartão peregrino antecipadamente. Com a transferência dos eventos finais da JMJ, o esquema foi mantido nesta sexta-feira. Amanhã e domingo (27 e 28), todos os cartões serão aceitos, inclusive o cartão peregrino. As bilheterias funcionarão 24 horas e todos os usuários poderão embarcar em qualquer horário.

Em nota, o Metrôrio informou que, na noite passada, houve uma demanda muito grande de passageiros no horário de maior movimento, após o término da Missa da Acolhida. “A Estação Cardeal Arcoverde, que fica em frente ao palco, teve 500 embarques por minuto – cada trem comporta 1.800 pessoas. Os intervalos entre as composições foram de quatro em quatro minutos e nós trabalhamos com todo o nosso efetivo”, diz a nota.

De acordo a concessionária, os usuários estão embarcando nas estações Cardeal Arcoverde e Siqueira Campos. Na Estação Botafogo, o movimento de peregrinos é reduzido. O MetrôRio sugere aos usuários que usem a Estação Botafogo para desafogar as de maior movimento.

No fim de semana, o metrô vai operar com toda a frota de trens e com o efetivo máximo de funcionários. Nos horários de maior movimento, os intervalos serão feitos de quatro em quatro minutos, tempo mínimo de operação.