Dom Orani aposta nos jovens para superar 'crise de valores' da sociedade

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) foi oficialmente aberta na noite desta terça-feira com a missa celebrada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta. Com uma multidão de fiéis aglomerados na praia de Copacabana, dom Orani citou aquilo que vê como uma "crise de valores" da sociedade e apostou na juventude moderna como a esperança do mundo.

"Vocês, queridos jovens, são o presente esperançoso de uma sociedade que espera que sua crise de valores tenha uma solução. São chamados a formar uma nova geração que vive a fé e a transmite para a geração seguinte", afirmou Tempesta.

"Nesta semana, o Rio se torna o centro da Igreja, viva e jovem", disse, refletindo o tema da JMJ 2013 'Ide e fazei discípulos em todas as nações'. "Somos chamados a ser protagonistas de um mundo novo. Tenho certeza de que vocês farão isso em suas cidades e seus países. O mundo necessita de jovens como vocês", completou.

Dom Orani também lembrou o papa emérito Bento XVI pela escolha da atual jornada após o términa da edição de 2011, em Madri. "Sabemos que ele nos segue com a oração e acompanha-nos pelos meios de comunicação. A ele nossa saudação afetuosa", disse Tempesta em referência a Joseph Ratzinger.

Na leitura da intenção da missa no início da cerimônia, Tempesta fez menção especial às vítimas da tragédia de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e aos 20 anos da chacina da Candelária, no Rio de Janeiro. "Celebro na intenção dos jovens mortos neste dia há 20 anos na região central desta cidade, perto da Candelária, numa trista chacina. (...) Celebro na intenção dos jovens de Santa Maria no Rio Grande do Sul pedindo pela segurança para todos em nosso País."

Pouco antes de dom Orani tomar a palavra, o grito que virou febre na JMJ tomou conta de Copacabana: "ésta és la juventud de papa". O arcebispo do Rio lembrou na missa do discurso do papa Francisco em que o Pontífice colocou nos jovens a responsabilidade de seguir o caminho de Jesus Cristo.