Vestes para papa e cardeais começaram a ser produzidas há 1 ano

Cerca de dez profissionais trabalharam apenas na confecção da veste que o papa Francisco irá utilizar na Missa de Envio, marcada para o próximo domingo, dia 28. A produção de todas as peças para cardeais e diáconos que participam de eventos começou há mais de um ano.

A peça foi produzida por uma empresa sediada em Balneário Camboriú (SC), no litoral norte do Estado. Esta foi a segunda vez que a Arte Sacro Paramentos produziu as peças litúrgicas para um Papa: em 2007, o grupo catarinense "vestiu" Bento XVI durante sua passagem pelo Brasil para a missa de canonização de Frei Galvão.

Desta vez, os paramentos do Sumo Pontífice começaram a ser "pensados" um ano antes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Mesmo a renúncia de Bento XVI não atrapalhou o projeto. O próprio papa Francisco foi quem escolheu o seu paramento, feito de material reciclado desenvolvido pela Arte Sacro em parceria com a empresa Haco Etiquetas.

Cerca de dez pessoas participaram do projeto de composição das vestes. Designers, modelista, programador de bordado, piloteira, costureiras, além dos gestores, se reuniam semanalmente para fazer a aprovação de cada detalhe. "Os paramentos foram desenvolvidos com uma quantidade rica de significados. Cada cor, cada traço, cada tecido tem intuito de traduzir o que aprendemos com o papa Francisco diariamente", afirmou a designer de produto Tuani Caleffi.

As peças foram criadas a partir da observação da fala e do comportamento do novo Pontífice. "Ele demonstrou, através do nome escolhido, suas vestes e seus primeiros discursos, que acredita na humildade e simplicidade", disse, explicando que o conceito da vestimenta papal apresenta elementos referentes à JMJ: mosaicos simbolizando os jovens, a cruz peregrina e a pureza da Virgem Maria, destacada na cor branca, são alguns dos adornos que compõem o paramento litúrgico.

Além das vestes que serão utilizadas pelo papa Francisco, a Arte Sacro produziu aproximadamente 24 mil itens para diversas celebrações da JMJ. O último lote da produção foi enviado no início deste mês, em 400 caixas, para o Rio de Janeiro.

As vestes serão utilizadas por diáconos, sacerdotes, bispos e cardeais. As peças personalizadas resultaram no trabalho de mais de 50 pessoas, incluindo 24 costureiras. Os lotes - cinco no total - começaram a ser produzidas em julho do ano passado e passaram a ser enviados para o Rio desde setembro passado.

"Já produzimos os paramentos utilizados pelo Santo Padre Emérito Bento XVI, o que também foi muito emocionante", afirmou Dulci Benchaya, sócia da empresa catarinense, destacando que cada papa teria um perfil diferente para suas vestes. "Cada um tem um carisma e uma história que procuramos preservar no paramento."