Jovens cariocas lançam campanha durante a JMJ: 'abrace um peregrino'

Você que não é da religião católica, ou está longe de ser praticante, deve estar se perguntando ao caminhar pelas ruas do Rio de Janeiro e ver diversos grupos de jovens pulando e cantando: de onde é que vem tanta felicidade? Para as estudantes Ruth Oliveira, Isabeli Moreira, e Paula Reis, todas cariocas, além da equatoriana Daisy Santo, a resposta é uma só: “Deus”. 

As quatro criaram a exótica campanha do “Abrace um peregrino”, todas unidas num enorme “camisão” com o escrito, enquanto saiam abraçando todos os católicos que se dirigiram ao Sambódromo, no Centro do Rio de Janeiro, para retirar os kits (mochila, vale transporte e alimentação, etc.) da Jornada Mundial da Juventude. 

“O brasileiro é isso, é calor humano. Todo o lugar que a gente for vamos querer passar isso para as pessoas”, explicou a estudante Isabeli Moreira. Junto das amigas, elas percorriam a Apoteose gritando a todo momento: “abraço, abraço, abraço!”. Prontamente, elas eram retribuídas por mexicanos, argentinos e, principalmente, chilenos, que lotam o local.

“Essa felicidade toda é de Deus mesmo. Está todo mundo sendo acolhido, tanto de fora, como aqui do Brasil mesmo. É uma animação só”, completou outro membro do “camisão da JMJ”, a também estudante Paula Reis. 

Enquanto o grupo distribuía abraços, peregrinos, essencialmente de países vizinhos do Brasil aguardavam cerca de 1h30 para a retirada das credenciais e kits.

Sentindo o forte calor do Rio de Janeiro, neste domingo na casa dos 28 graus, a grande maioria usava as bandeiras de seus respectivos países para montar uma espécie de cabana e escapar dos raios solares. 

“Não estou acostumado com esse calor todo, mas viemos para cá já sabendo disso, então não vai ser um problema”, disse o peregrino chileno Oscar Bozo.