Jornal do Brasil

Conex√£o Francesa - JBlog - Jornal do Brasil

A união faz a força: Vinexpo e Wine Paris juntas em 2020

Rogerio Rebouças

Como havia dito aqui separadas uma das feiras iria sucumbir. A lógica e a necessidade selaram a união. O rumor corria de stand em stand antes do anúncio oficial ao final da XX Vinexpo Bordeaux. Os números do salão que se encerrava mostravam que a queda de 30% da frequência (menos de 30 mil visitantes) e de expositores. Era o sinal de alerta que faltava. A decisão não dependia apenas do novo diretor geral de Vinexpo Rodolpho Lameyse. A Câmara de Indústria e Comércio de Bordeaux, proprietária de Vinexpo, nunca gostou da ideia de ir para Paris. A União de Grands Crus de Bordeaux também era refratária. Mas o bom senso prevaleceu e os produtores saíram aliviados do salão.

A diminuição gradual de Vinexpo Bordeaux começou em 2015 e se acentuou em 2017. Esta perda de velocidade e os números de 2019 a tornavam uma feira quase regional. O novo presidente da influente UGCB, União de Grandes Crus de Bordeaux, Ronan Laborde aceitou a difícil mudança. Resta saber como vai ser esta feira conjunta em Paris entre Vinexpo e Wine Paris (fusão de Vinovision com Vinisud). Como ela vai se chamar? Como será a gestão do evento? Ainda não sabemos. Para o produtor e para o visitante o que conta é que ela terá todo o vinhedo francês presente e muitos “players” internacionais e vai acontecer de 10 a 12 de fevereiro em Paris. Portanto, antes da Prowein e da Vinitaly.

WOW é o espaço dedicado aos vinhos orgânicos na Vinexpo. Foto Rogerio Rebouças

Apesar da esperada queda na frequência as novidades desenvolvidas para esta edição deram certo, segundo os organizadores. Os encontros B to B, WOW o espaço orgânico, as palestras e degustações temáticas atraíram o público alvo. Para Rodolpho Lameyse o novo foco passa por mais negócios, mais conteúdo e mais experiências sensoriais. Já em 2021 Vinexpo deverá ser em abril e em Bordeaux, logo depois da degustação dos vinhos Primeurs. A proposta não teve um apoio unânime. Há a preocupação dela se regionalizar e de criar compradores excluídos da degustação dos vinhos Primeurs. Isto pode acontecer devido à pequena capacidade de receber o público. Natural já que a degustação acontece nos châteaux e é organizada pela UGCB para um público bastante específico: o comprador dos grandes vinhos de Bordeaux que reservam e pagam antecipadamente, isto é, antes dos vinhos ficarem prontos, o que leva dois anos.

O salão para quem expôs ou visitou foi muito produtivo e os negócios aconteceram. Importadores de dezenas de países estavam presentes. Inclusive o chinês Jack Ma, fundador do gigante do e-commerce Alibaba, ele foi homenageado na Festa da Flor que marca o encerramento de Vinexpo. O Brasil estava representado por Cantu, Verdemar, Fasano, Casa Rio Verde, Wine Mania, Vintage Vinhos e Wine.com. Segundo David Quillan, da Cave de Tain no norte do Rhône, foi um salão onde muitos negócios e contatos de grande qualidade aconteceram. “Tivemos tempo de degustar e negociar, sem a correria da Prowein”, assegurou. Santé.

Jack Ma é a estrela da Festa da Flor em Pauillac

Rogerio Rebouças

Jack Ma fundador do site Alibaba.

Os 1660 convidados não esperavam encontrar Jack Ma, o todo poderoso fundador do site chinês Alibaba com capitalização na bolsa de mais de 500 bilhões de dólares, no jantar da Commanderie du Bontemps, literalmente Comandantes do Bomtempo, na prestigiada Fête de La Fleur (Festa da Flor). A poderosa confraria reúne os mais importantes produtores do Médoc, Sauternes, Graves, e Barsac e os principais negociantes de Bordeaux. Os personagens mais importantes do mundo dos vinhos estavam presentes e foram recebidos no Château Lynch Moussas, em Pauillac, por Emile e Philippe Castejá proprietários e pelo Grão Mestre Emmanuel Cruee (Château Issan) e os Commandeurs du Bontemps.

 

1660 convidados na Festa da flor no Château Lynch Moussas. Fotos Rogerio Rebouças

A festa era colossal. Nos jardins do Château Lynch Moussas foi construída especialmente para o evento uma enorme estrutura de lona com colunas metálicas, ar condicionado, iluminação, banheiros luxuosos, cozinha, salão de recepção para o coquetel, geradores de energia tudo isso para receber os 1660 convidados. A lista tinha Importadores, donos ou compradores de grandes redes, chefs famosos como Michel Troigros, artistas, embaixadores, jornalistas, políticos e produtores de vinho. Em cada mesa 10 pessoas e para cada pessoa 5 taças e um copo onde foram servidos o Château Smith Haut Lafitte, Péssac Léognan, branco 2010, Château Batailley, Pauillac, 2009, Lynch Moussas, Pauillac, 2003, Haut Brion, Péssac Léognan, 2000 em garrafa magnum e o Sauternes Château Yquem 2010. Dez mil taças Riedl apenas no jantar. Quase três mil taças foram usadas no coquetel de boas vindas para servir o Graves Clos Floridene 2016 branco, o Sauternes Château Doisy-Védrines 2015 e o tinto de Saint Julien 2011 Château Gloria.

O coquetel foi servido no jardim e tinha uma segunda estrutura coberta.

Do outro lado da estrutura e com o mesmo tamanho uma mega estrutura de banquete com centenas de garçons, sommeliers, cozinheiros pilotados pelo triplamente estrelado chef Marc Haeberlin. O movimento das brigadas no salão era um evento a parte. A cozinha e o serviço foram impecáveis sem qualquer atraso. Tudo isso sem perder qualidade. Ao final do jantar champagne Pol Roger e fogos de artifício encerravam o magnífico evento.

 

Os novos confrades da Commanderie du Bontemps o chef Michel Troisgros e Rogerio Rebouças. Foto Marie Pierre Troisgros.

Antes do jantar a Commanderie do Bontemps entronizou quarenta novos Commandantes honorários, pessoas importantes para os vinhos bordalêses do Médoc, Graves, Sauternes e Barsac. Dentre eles se destacam o fundador de Alibaba Jack Ma, o chef Michel Troisgros, o embaixador americano na Espanha e Andorra Duke Buchan, o prefeito de Bordeaux Nicolas Florian, o empresário Guillaume Sarkozy, irmão mais velho do ex-presidente francês, e este blogueiro do JB que vos escreve. Foram momentos emocionantes para todos os agraciados com a honraria. Santé.

 

Os Comandantes do Bomtempo honorários são entronizados com a indumentária típica da confraria.

A primeira batalha é na 20ª Vinexpo

Rogerio Rebouças

Na próxima segunda-feira começa em Bordeaux a XX edição de Vinexpo. São quatro dias para conhecer 1600 produtores de 29 países e assistir diversas palestras ou participar de degustações. Já foi a mais importante e maior feira de vinhos do planeta. A feira era grande, mas nunca foi monstruosa, o que permitia fazer todos os países nos seus quatro dias. A concorrência do mastodonte alemão Prowein - nunca consegui fazer todos os pavilhões - e de Vinisud, que foi adquirida por Vinovision e assim uniu-se a Wine Paris e deixou de ser bienal, em alternância com Vinexpo. Aí, a trégua foi rompida.

Para que o leitor tenha uma ideia de tamanho Prowein, acontece em março, teve este ano 6800 produtores e 61.500 visitantes. Já a Wine Paris começou bem mais modesta com 2000 expositores. Vinexpo promete para janeiro fazer uma edição parisiense um mês antes de Wine Paris. Este é um confronto direto e vale seis pontos. Não há dinheiro entre os produtores para fazer duas feiras francesas por ano e mais a Prowein. Vinexpo também acontece em Nova York e Xangai, atendendo diretamente aos dois maiores mercado. É jogo, na França, de resta um.

Para conseguir vencer Vinexpo antecipou o evento de um mês para ficar mais próximo de Prowein e de Vinitaly. Junho era bom para Bordeaux que mostrar sua nova safra, mas as compras já estavam feitas, chegava atrasado. Um espaço para os vinhos orgânicos foi criado: WOW! (World of Organic Wine). Serão 150 produtores de nove países num movimento para flanquear Millésime Bio, o salão dos orgânicos. Os encontros B to B ficaram com One to Wine Meetings, aqui o alvo é o Forum International d’Affaires, FIA, que acontece em Vinisud e que traz compradores para encontrar produtores de todos os continentes. Estão atirando para todos os lados para proteger seu espaço e achar novos. O preço dos stands terá um papel importante nesta guerra. Bordeaux vai ter de se adaptar.

Festa da Flor da Commanderie du Bontemps é o momento de maior "glamour" nas noites de Vinexpo. Fotos divulgação

Bordeaux tem alguns trunfos que outros salões não conseguem oferecer. Bordeaux é o produtor mundial de referência com seus Grands Crus Classés inigualáveis. Bordeaux tem o glamour das festas, jantares e almoços nos châteaux regados aos melhores vinhos. Bons clientes são levados de helicóptero para almoços com grandes produtores no château, uma experiência única. Festa da Flor da Commanderie du Bontemps do Médoc, de Graves, Sauternes e Barsac, Festa do Fogo de São João no Château Phélan Ségur e tantas outras organizadas por negociantes e produtores. Ah, Bordeaux tem o magnífico e educativo Museu do Vinho.

Detalhe do stand de Bernard Magrez e de seus vinhos do Château Pape Clément. Foto Philippe Labeguerie/Vinexpo.

Para comandar esta guerra o presidente de Vinexpo Christophe Navarre chamou um general, isto é, contratou um novo diretor geral, Rodolpho Lameyse. Com grande experiência na indústria de salões, eventos e no marketing digital. Ele busca valorizar o tamanho humano do salão e o fortalecer como um grande ambiente de negócios. Seu objetivo é ampliar o salão e aumentar a participação de mercado do grupo Vinexpo. Santé.

Etapa Brasil do Challenge Internacional Sud France acontece no Rio de Janeiro

Não é só a Fórmula 1 que vai rolar no Rio. A etapa Brasil do Challenge Internacional Sud France, a terceira maior competição depois da prova nacional francesa e da de jovem sommelleir, também vai acontecer na Cidade Maravilhosa. Para os sommeliers brasileiros é a oportunidade de concorrer a uma competição de nível internacional e, se vencer, ainda ganhar uma viagem de uma semana com tudo pago para a França para disputar a grande final em 2020. No Brasil a etapa é organizada pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e Agence Régionale de Développement Economique (AD’OCC), a fase nacional tem o objetivo de selecionar e preparar o participante para vencer o concurso internacional. Este jornalista, que está organizando o evento, e a ABS querem que o sommelier campeão viaje em condições de vencer. “Estamos preparados para forjar um campeão internacional e ele vai ter de comprar esta ideia”, afirma Joseph Morgan presidente da ABS.

Por isso, além da competição em si, os concorrentes ainda vão participar de aulas preparatórias, sobre o vinhedo e os vinhos do Languedoc Roussillon, o maior da França. No Rio e em São Paulo, elas vão ser ministradas por Rogerio Rebouças que ano passado obteve o Master Level Sud France. Já em Minas Gerais, as aulas serão aplicadas por monitor da ABS- MG, que assistirá à aula em São Paulo e receberá material didático de apoio para replicar a palestra.

Para participar do concurso, que tem o apoio da Région Occitanie / Pyrénées-Méditerranée (Agência Regional de Desenvolvimento Econômico da Região Ocitania/Pirineus Mediterrâneo), CIVL, Comitê Interprofissional dos Vinho do Languedoc, e da Importadora Decanter basta ser sommelier e se inscrever pelos e-mails abs@abs-rio.com.br ou abs@abs-minas.com.br até o dia 17 de maio.

A final do Expert Sud de France vai acontecer no dia 13 de setembro, no restaurante Érico, na Barra da Tijuca. Para chegar até esta etapa, os concorrentes precisam enviar uma carta de motivação, em português com abstract em francês ou inglês sobre os vinhos do Sul da França, além de fazerem uma prova escrita, na qual o sommelier precisa de uma nota mínima de 70 sobre 100 pontos para passar para a final. Apenas os quatro melhores se classificam.

O vencedor – além de concorrer ao Challenge Sud France de La Sommelerie 2020 e ganhar uma viagem de uma semana com tudo pago para a França – também vai receber todo o suporte para se preparar para a etapa internacional, incluindo aulas de francês pagas pela organização. Além disso, o participante vai ter a oportunidade de visitar os maiores produtores da região do Languedoc-Roussillon durante a visita à França.

Ao centro o sommelier carioca Diego Cosaquiviti degusta às cegas Banyuls, Muscats e Maury durante o Challenge Sud de France 2016. Foto Rogerio Rebouças

Se ter a experiência de concorrer ao desafio já é incrível, imagine vencer... Além do título, o campeão da grande final na França ainda fatura uma incrível viagem para ser jurado em uma etapa de 2021 do concurso numa dessas cidades: Londres, Xangai ou Nova Iorque.

Tal qual na França, onde a organização realiza o evento com o apoio da Union de la sommelerie Française (UDSF), no Brasil, o evento tem o apoio da Associação Brasileira de Sommeliers, ambas filiadas a Associação Internacional de Sommelerie (ASI). As perguntas das provas aplicadas no Brasil são as mesmas que os candidatos de outros países irão ter de responder. O nível é um só, assegura Joseph Morgan.

CALENDÁRIO

Data limite para inscrição nas ABS: 17 de maio

Data limite para recebimento da carta de motivação: 20 de Maio

Data da divulgação dos selecionados: 22 de maio

Curso ABS-RIO: 24 de Maio

Curso ABS-SP: 27 de Maio

Curso ABS-MG: 30 de maio

Prova Escrita: 17 de Junho

Concurso: 13 de Setembro

Malbec e Cahors perdem um dos seus maiores vinhateiros

Rogerio Rebouças

Georges Vigouroux, um dos vinhateiros que impulsionou o retorno dos vinhos de Cahors na cena internacional, faleceu dia 7 de fevereiro. Os châteaux de Mercuès e de Haute-Serre são suas propriedades de referência. Inovador soube aliar gastronomia, marketing e a promoção internacional da uva Malbec e dos vinhos de Cahors.

Três gerações da família Vigouroux no vinhedo de Cahors.

Nos anos 70 ele criou o vinhedo do Château Haute Serre, época em que a denominação estava em decadência e tinha apenas 400 hectares. Hoje o AOC Cahors pode se orgulhar de ter 4000 ha. Nos anos 80 ele compra o Château de Mercuès, nas portas de Cahors e o transforma num hotel Relais & Châteaux com um restaurante gastronômico. Pilotado pelo chef Julien Poisot o restaurante tem uma estrela Michelin. Na entrada de Cahors uma grande e bela loja de vinhos chamada Atrium é um marco na cidade. A partir dos anos 90 ele começa a exportar os vinhos de Haute de Serre para os Estados Unidos e depois para o Canadá. Ele chama a atenção da imprensa americana e ganha notoriedade internacional. Nesta época seu filho Bertrand Gabriel passa a dividir com ele a direção do grupo. A transição já estava consumada. Tal qual seu avô, um dos primeiros a engarrafar o vinho na propriedade, havia passado o bastão a Georges no século XX. Santé.