Leandro Mazzini: Informe JB

Meia volta, volver!

O presidente do nanico PRTB, Levy Fidelix, enquadrou para valer cinco infiéis que tentaram trocar o partido pelo novato PSD, do prefeito paulistano Gilberto Kassab, que sequer foi oficializado. O quinteto chegou a subscrever a ata de fundação do PSD. Fidelix ligou para cada um deles e avisou que o STF está prestes a decidir sobre consulta sua, de que pode ter autorização para pedir a vaga deles e empossar os suplentes. Apesar de o Supremo não ter respondido ainda, todos voltaram atrás. São três deputados estaduais e dois federais. 

Chamada nominal

Os infiéis do PRTB são: os federais Áureo Ribeiro (RJ) e Vinícius (AP), e os estaduais José Vitti (GO), Waguinho (RJ) e Telma Gurgel (AP). Outro estadual, Fausto Souza (AM), ainda não se convenceu a voltar. Assim como um vereador de Manaus, Roberto Sabino.

Garibaldi, O retorno?

Circula no Congresso a notícia de que, na dificuldade de Renan Calheiros (PMDB-AL) em se candidatar à presidência do Senado – e ele quer – Garibaldi Alves Filho sai do ministério em 2012 e volta à Casa como o candidato de José Sarney e Renan. 

Pressão total

Já era noite quando parlamentares da Frente da Família – que reúne cerca de 100 deputados e senadores – soltavam a voz em plenário de comissão na Câmara contra o kitgay, com livretos e filmes do MEC que podem ser distribuídos para escolas. 

Pressão total 2

A turma suprapartidária decidiu em uníssono: ou o ministério derruba o programa, ou a reação será dupla: vão convocar Antonio Palocci para explicar o enriquecimento, e vão pedir a cabeça do ministro Fernando Haddad.

Ôhhh!

Muitos deles viram pela primeira vez os filmetes tão atacados pelo federal Bolsonaro (PP-RJ), e ficaram boquiabertos: dois meninos de 12 anos se beijando na boca, em momentos variados. Concordaram todos: respeitar os direitos, sim, mas incentivar a homossexualidade infantil, jamais. 

Eles voltaram

Muito festejada pela oposição a volta dos senadores independentes no Congresso – os peemedebistas não alinhados com o PT e o Planalto. São eles: Pedro Simon (RS), Jarbas Vasconcelos (PE), Luiz Henrique (SC), Requião (PR), Baldaner (SC), Ferraço (ES), Waldemir Moca (MT). 

Ouvido aberto

O grupo tem se reunido toda semana para almoço ou jantar, sempre na casa de um deles. E nada vaza dali, para desespero dos governistas. 

Hein!?

O PSDB barrou projeto de lei do senador Simon que regulamenta a prática de consultoria no Brasil cujas divulgações causam riscos financeiros para os citados, sejam pessoas ou empresas. O caso enquadraria para valer o ministro Antonio Palocci. 

Mas até tu?

O que mais assustou Simon é que o não veio do relator Álvaro Dias (PSDB-PR), um dos que mais têm criticado Palocci sobre o enriquecimento suspeito.

Aliás

O PL de Simon prevê prisão de dois a seis anos para pessoa ou empresa, na atuação como consultores, que prejudiquem financeiramente alguma instituição ou cidadão.

Homenagem

A coluna se solidariza com o grande fotógrafo José Varella, ex-JB, internado em Brasília com problemas de saúde.