Religião: Assembleia Geral da CNBB

 

Entre os dias 4 e 13 de maio  realiza-se a 49ª  Assembleia Geral da CNBB, no Santuário Nacional de Aparecida (SP), a "casa da Mãe".  Momento importante para a Igreja no Brasil, de fraternidade episcopal, decisões informações e decisões importantes para a nossa caminhada. Sempre é um tempo de bênçãos!

Segundo o artigo 27 do Estatuto Canônico da CNBB, a Assembleia Geral é o órgão supremo da CNBB, “a expressão e a realização maiores do afeto colegial, da comunhão e corresponsabilidade dos pastores da Igreja no Brasil”. Reúnem-se, ordinariamente, uma vez por ano e, extraordinariamente, quando, para fim determinado e urgente, sua convocação for requerida (cf. art. 31). Sob a proteção da Mãe de Deus e nossa, que nos pede que façamos o que o Seu filho nos disser, estão os pastores das 44 arquidioceses e 271 Dioceses, Eparquias, Prelazias na busca de ouvir o que Ele quer para que, no exercício do nosso múnus de pastores, seja sempre mais glorificada a Trindade Santa que habita em nós.

A assembléia trata de assuntos pastorais de ordem espiritual e de ordem temporal, e dos problemas emergentes da vida das pessoas e da sociedade, na perspectiva da evangelização. Nesta, teremos dois temas centrais. O primeiro, as eleições da nova Presidência da Conferência e dos presidentes das Comissões Pastorais. A presidência da CNBB permanece no cargo apenas por no máximo dois mandatos consecutivos. A cada quatro anos a Assembleia Geral da CNBB elege nova presidência. Em votações separadas são eleitos o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da Conferência. Também são eleitos os presidentes das Comissões Episcopais de Pastorais, que não podem também ser eleitos para mais de dois mandatos consecutivos. Nesta Assembleia eu estou propondo que a comissão que até agora eu presidi, a de cultura, educação e comunicação social seja, daqui para frente, repartida em duas comissões: a de educação e cultura e a de comunicação (que engloba também o trabalho da pastoral na internet). Veremos se essa proposta será aceita pelo plenário da Assembleia.

O segundo tema central são as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, que serão aprovadas pela CNBB para o quadriênio 2011-2015. Aliás, este é um tema constante nessas assembleias eletivas, quando, então, temos a oportunidade de discutir e votar o que a Igreja no Brasil propõe para os próximos quatro anos enquanto diretrizes de evangelização, sobre as quais trabalharemos durante o quadriênio e que servirão de base também para planos pastorais diocesanos e para outros documentos da Igreja.

Já as Diretrizes do Diaconato Permanente estão entre os chamados temas prioritários, juntamente com assuntos de liturgia. Durante a Assembleia, a CNBB prestará homenagem à Adveniat que, neste ano, comemora 50 anos e que tanto bem fez e faz pela Igreja no Brasil. Haverá, ainda, análise de conjuntura social e eclesial e várias comunicações referentes, por exemplo, aos 50 anos do Movimento de Educação de Base (MEB), Jornada Mundial da Juventude, preparação do jubileu de 50 anos do Concílio Vaticano II, situação dos povos indígenas e outros assuntos.

Segundo o artigo 143, “as eleições quadrienais devem ser precedidas na Assembleia eletiva: a) pelo relatório da presidência sobre a vida, as atividades pastorais e a administração patrimonial da CNBB, durante o quadriênio cessante; b) pela avaliação da Assembleia sobre o desempenho da CNBB e de seus responsáveis, no mesmo período; c) pela discussão e votação das diretrizes gerais para a Pastoral Orgânica do quadriênio que se inicia”. O artigo 148 afirma ainda que as "eleições serão realizadas em clima de intensa comunhão eclesial, contribuindo para isso o dia de espiritualidade“. O retiro deste ano será pregado pelo Eminentíssimo Senhor Cardeal Marc Ouellet, Sulpiciano, Arcebispo Emérito de Quebec, no Canadá, e atualmente Prefeito da Congregação para os Bispos da Santa Sé Apostólica. A posse da nova presidência e dos novos presidentes das Comissões Episcopais Pastorais acontece antes do término da Assembleia. (artigo 154).

Que todo o nosso povo de Deus reze para que o Espírito Santo inspire os pastores durante esta Assembleia e sempre, para que sejamos pastores conforme o Coração de Jesus.