Editorial: O Brasil precisa de Belo Monte, mas deve ficar atento

 

A notícia foi publicada em primeira mão na coluna Informe JB da edição do último dia 26: o juiz Ronaldo Destêrro, da 9ª Vara da Justiça Federal, determinou a suspensão das obras da usina hidrelétrica Belo Monte, no Pará. Segundo o magistrado, o Ibama constatou descumprimento das normas ambientais e, por isso, o BNDES fica impedido de repassar recursos à concessionária Norte Energia até segunda ordem.

Some-se a essa providência judicial a declaração do novo presidente do Ibama, o advogado com larga experiência na área ambiental Curt Trennepohl. De acordo com ele, a licença para a instalação da usina, hoje, seria negada pelo órgão, porque condicionantes ainda não foram cumpridas e a questão indígena na região continua sem solução.

Não resta dúvidas de que o Brasil precisa de mais uma  hidrelétrica de porte para evitar novos apagões e atender à demanda desenvolvimentista que o país almeja. Afinal, dos seis maiores apagões da história do planeta, três aconteceram em território brasileiro. No entanto, as salvaguardas ambientais são cada vez mais importantes, visto que a Terra já foi por demais vilipendiada pelo ser humano e começa a cobrar seus dividendos com bruscas mudanças climáticas e  catástrofes naturais.

O novo presidente do Ibama está certo em cobrar com rigidez o cuidado com o meio ambiente e com as populações afetadas pelo empreendimento. Da mesma forma, a Justiça deve permanecer vigilante, pois progresso não se paga com vidas humanas.