Heloisa Tolipan: O pulo da gata

Os três mosqueteiros da foto ao lado não puderam conter o ímpeto da donzela, que preparou salto performático em homenagem à coluna. Fofura que só poderia partir de Silvia Machete, nossa afilhada queridinha.

Hoje e amanhã, a cantora será mestre-de-cerimônias dos últimos dois shows do projeto Sonoridades, engendrado por Nelson Motta, no Oi Futuro de Ipanema. E, para fazer a festa, Silvia, obviamente, se cercou de uma trinca masculina que ela conhece bem: Erasmo Carlos, Domenico Lancellotti  e Marcelo Lobato.

Antes da apresentação, rolou uma reunião descontraída entre os quatro para acertarem os últimos detalhes sobre o repertório do show em dose dupla. O quartel-general? A casa do Tremendão, na Barra da Tijuca.

Conversa vai, conversa vem, Erasmo soltou uma frase sobre Silvia que, convenhamos, poderia servir de inspiração para a cantora durante aaaanos. “Para uma mulher bonita, sou até um escravo. Não sei o que a Silvia vai aprontar com a gente, mas nem me preocupo. O que ela pedir eu faço, sem discutir, sem pestanejar”, derreteu-se o cantor. Mais do que explicado o tchibum de nossa musa, né? Felicidade pura.

Sobre planos mais elaborados em torno da apresentação, Silvia foi bem direta: “Do Erasmo quero extrair o lado mais teatral. O Oi Futuro é um espaço propício para performances bombásticas”, comentou. Bem, performance é um riscado que nós sabemos que Silvia sabe traçar.

Mas os outros dois craques não ficam atrás na corte da rainha Machete. Domenico, aliás, participou da gravação do primeiro álbum de Silvia. “Lancellotti tem muito humor em seu trabalho, por isso me identifico. E com o Lobato aprendi o que significa ter generosidade musical”, elogiou a gata escaldada, logo depois partindo para o abraço, ou melhor, para o salto ornamental de nosso registro. Nota 10!