A reação Serrana

Apesar do medo, ponte improvisada quebra galho Depois das últimas chuvas, ilhados, sem água ou energia – esta já restabelecida em parte – moradores do bairro de Córrego Dantas, em Nova Friburgo, criaram uma comissão para cobrar providências junto à prefeitura. E foram além. Arregaçaram as mangas e compraram uma mangueira de 2 mil metros que hoje capta água em uma nascente na parte alta da localidade para abastecer as caixas d’água e cisternas de 80 casas.

– Sem água, não podíamos ficar. Arrecadamos R$ 30 de cada família e montamos nosso próprio sistema de abastecimento – comemora o motorista de caminhão José Ricardo de Moraes Almeida, de 42 anos, há 32 em Córrego Dantas.

Ele explicou o funcionamento do mecanismo: – A própria gravidade se encarrega de encher os reservatórios. As mangueiras são ligados a uma nascente, que fica na propriedade do meu pai.

Uma ponte para recomeçar Como ter água só não bastou, a vizinhança se organizou, e, com cabos de aço e tábuas, ergueu uma ponte que atravessa o córrego que dá nome ao bairro, mas que hoje mais parece um rio e impede o contato com o restante da cidade.

– Precisávamos buscar ali mentos, remédios e ajuda.

Foi a saída encontrada – lembrou a empregada doméstica Michele Amaral. – Todo mundo daqui ajudou na construção. Dá um pouco de medo passar pela ponte.

Mas, mais so que nunca, precisamos trabalhar, continuar nossa vida para reconquistar o que perdemos com essa lama toda que destruiu muita coisa e matou vários conhecidos nossos.