Sem mata, deserto

Desmatamento faz temperatura média do verão carioca superar a do Saara africano S e alguém mandar você se refrescar no Saara, carioca, não se assuste. Pode parecer surreal, mas o verão do Rio de Janeiro está deixando o famoso deserto norte-africano para trás. Com temperatura média em torno dos 34ºC durante a estação mais quente do ano, segundo o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), a capital fluminense superou o Saara, que marca aproximadamente 32ºC no mesmo período.

O forte calor ajudou a deixar as praias cheias ontem, mesmo em plena segunda-feira. Ontem, os termômetros marcaram máximas de 38ºC, e a previsão para amanhã é de que o calor continue forte, com 37ºC.

– A ação do homem é a principal vilã no aumento da temperatura. Com a destruição da Mata Atlântica no Rio de Janeiro, a cidade ficou bem mais quente – explica o professor do Departamento de Meteorologia do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Isimar dos Santos.

– A substituição de grandes árvores por vegetação rasteira, a urbanização, o asfalto, as grandes construções. Tudo isso contribuiu para um grande aumento na temperatura ao longo dos anos.