Profissão: candidato

Um dos grandes segredos é não deixar o lazer de lado Ao contrário do que muita gente faz, Manzoni não dedicou-se integralmente aos estudos.

– O segredo é ter foco, estudar bastante, mas nunca deixar a vida social de lado – ensina.

– Abandonar o lazer para se dedicar somente aos estudos é um erro que pode custar sua aprovação. Talvez por isso eu tenha conseguido – diz.

Além de disposição para estudar, também é preciso estar preparado para altos investimentos. Segundo informações da Anpac, o valor gasto anualmente pelos candidatos pode superar os R$ 15 mil. Mais da metade dessa quantia seria gasta com cursos preparatórios, e o restante com transporte, compra de livros, alimentação e taxas de inscrição das provas.

– Pago R$ 600 ao curso preparatório por mês. É quase metade do meu salário – conta Willian Figueiredo, 33 anos, assistente administrativo em uma agência de venda de veículos e que almeja uma vaga no Tribunal de Justiça do Rio. O problema é a falta de tempo para estudar.

Mais uma vez, Marco Mazoni nada contra a maré da opinião geral: – Os cursos são rolos compressores, porque têm um volume muito grande de conteúdo para ser absorvido em pouquíssimo tempo – opina. – Melhor estudar sozinho.

Outro engano comum no universo dos concursos é apontado por Paulo Estrella, diretor pedagógico da Academia do Concurso Público. – Quem possui ensino superior deve optar pelas vagas que exigem graduação, porque as de ensino médio acabam sendo muito mais disputadas.

E a médica Michelle Sister, do Hospital Municipal Lourenço Jorge, faz uma ressalva importante: o bom rendimento na prova depende de cuidados diários com a saúde. É fundamental beber bastante água e investir em alimentos ricos em fósforo, como peixes, ovos leite e legumes, além de evitar alimentos gordurosos, como feijoada e carnes gordas.