Um início à meia bomba

P elo que se viu nas arquibancadas, o torcedor carioca não estava com tanta fome de bola como trombeteou a mídia. Tanto Vasco quanto Flamengo não levaram , em suas estreias, nem 7 mil pagantes aos estádios. Botafogo e Fluminense juntos botaram pouco mais de 15 mil espectadores no Engenhão.

Gaguinho, o maître da casa de apostas clandestina, tem sua explicação para a inapetência do torcedor: – Os to-torcedores se empan-panturraram de petiscos e ti-tira-gostos – Copinha, Co-Copa da Ásia, torneios europeus e acabaram por dispensar o cardápio da rodada inaugural do Ca-carioca que não ti-tinha nenhum manjar! Quando contestaram sua tese, dizendo que uma coisa é assistir o Qatar, outra é sair atrás do time do coração, Gaguinho que não deixa ninguém sem resposta ,filosofou: – To-torcedor é como torradeira: precisa de um tempinho para esquentar! O fato é que o Campeonato Carioca começou com uma discrição de Série C. Tão pouco divulgado pela Federação que Marta veio me perguntar se a partida do Flamengo com o Volta Redonda era um jogo-treino. Concluída, porém, a primeira rodada, pude entender as razões da Federação: os times grandes estrearam tão desarrumados , tão longe daquilo que o torcedor gostaria de ver, que a entidade preferiu “esconder” o jogo (ou os jogos) na abertura do “campeonato mais charmoso do país”. Se posso dar uma opinião, das partidas que assisti quem me causou a melhor impressão foi o Bangu.

Pergunto, então: se os times grandes jogaram tão mal, para que serve a tal da pré-tempo rada? Para os jogadores perderem os quilinhos que ganharam na ceia de Natal? Para que as novas contratações sejam apresentadas ao grupo? Para que cada um conte como foram suas férias? Sempre entendi a pré-temporada como os ensaio de uma peça de teatro. É o tempo em que o diretor (treinador) prepara o elenco para a estréia. Uma estreia que se supõe de gala, onde os times deveriam subir ao palco na ponta dos cascos para reencontrar sua torcida.

O que se vê no entanto é um comportamento de fim de temporada. Todo mundo cansado , fora de forma, sem ritmo, sem entrosamento, sem as novas contratações e os treinadores dando as velhas desculpas de inicio de temporada. A gente sabe que, assim como os atores erram as falas, os jogadores er não foi à estréia do Flamengo, o torcedor rubro-negro respondeu: – Que estréia? Pra mim o Flamengo só vai estrear quando o Dentuço entrar em campo! – E você? Por que não foi ao jogo do Vasco? – O Vasco jogou? – Claro! Perdeu para o Resende em São Januário! – Então fiz bem em ficar em casa. O Vasco não jogou! ram os passes no nervosismo da estréia. Jogador também é como torradeira e necessita de um tempo para “esquentar” na sucessão de jogos. Mas não precisa exagerar! O futebol que os quatro grandes exibiram nesta primeira rodada foi de uma indigência franciscana. Sabendo disso, os torcedores que são apaixonados mas não são bobos, preferiram fazer outro programa.

Perguntado, durante uma pesquisa, por que.